contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner Estado – museu

Publicidade

STF julga habeas corpus de delator de Correia Lima

Ele foi companheiro de cela do ex-coronel e entregou para a policia o plano para matar o secretário de Segurança e jornalista

| segunda-feira, 8 dezembro , 2014

O Supremo Tribunal Federal (STF) julga na próxima terça-feira (9) o pedido de habeas corpus de Gerson Chaves Aragão (foto), acusado de assaltar a agência do Banco do Brasil no município de Cocal (PI).FOTO656566

O caso está sob a relatoria do ministro Gilmar Mendes. O HC 124559, impetrado pela defesa de denunciado por crimes de roubo qualificado, formação de quadrilha e porte ilegal de explosivos.

Ele e demais corréus são acusados de ter roubado agência do Banco do Brasil no interior Piauí, que ficou destruída pelos explosivos utilizados na prática do delito.

Plano de Correia Lima

Gerson Chaves Aragão foi companheiro de cela do ex-coronel Correia Lima e entregou para a policia o plano que o chefe do crime organizado dizia ter para matar o secretário de Segurança Pública do Piauí, Robert Rios e o jornalista Arimatéia Azevedo.

De acordo com Gerson, eles vinham conversando há vários dias, ele se prestava inclusive para escrever cartas do ex-coronel dirigidas a algumas pessoas, entre elas, o presidente do STF, Joaquim Barbosa, a quem pedia para que revisse sua situação prisional. Mas essas cartas nunca foram enviadas. Gerson, o colega de cela, as escondia e terminou entregando ao núcleo de inteligência da Polícia.

Nos vários trechos das cartas, Correia Lima revela quem são seus financiadores aqui do Piauí e de outras partes do país, no Ceará, Pernambuco e em São Paulo.

Após a entrega das cartas, a inteligência da Polícia Civil implantou uma escuta na cela que Correia Lima dividia com Gerson.

No video gravado pela Secretaria de Segurança, o detento Gerson Aragão, afirma que Correia Lima contratou pistoleiros para executar o serviço caso permaneça preso. Entretanto se ele for solto, deverá fazer ele mesmo o serviço.

Na conversa, Correia Lima chega a dizer que quando foi colocado em liberdade, um ano atrás, por determinação do juiz Ribamar Silva, de Parnaíba (que está afastado por isso), tentou matar o secretário e o jornalista Arimateia Azevedo no Teresina Shopping.

“Não matei porque minhas netas começaram a chorar”, diz ele, claramente.

Gravação

Duas gravações foram apresentadas pela Secretaria de Segurança, a primeira foi conseguida por uma escuta colocada na cela, onde é possível ouvir a voz do ex-Coronel dando detalhes de quando esteve no Teresina Shopping e tentou matar o Secretário e o jornalista, segundo Robert Rios, a tranquilidade com que ele fala mostra que ele já tinha o hábito de contar essa história.

Já a segunda gravação foi feita por Policiais Federais, nela Gerson conta várias histórias que lhe foram relatadas por Correia Lima. Dá ainda informações em detalhes sobre o plano armado para matar o Secretário e o jornalista.

O plano

Correia Lima encontra-se preso há quase 14 anos, acusado e condenado pela prática de vários crimes. Na conversa que ele manteve com o companheiro de cela chegou a contar suas aventuras criminosas e falou que planejou matar o jornalista Arimatéia Azevedo, que foi quem denunciou pela primeira vez, na história do jornalismo piauiense, as ações do crime organizado, em 1988. Falou também que tem ódio do então secretário de Segurança Robert Rios que, na condição de superintendente da Polícia Federal no Piauí, o mandou para a cadeia, em 1999.

Fonte: Portal AZ