contato@webpiaui.com.br

Publicidade

banner Rout

Publicidade

Privatização da Petrobras será prioridade, diz novo ministro

“Que leve ao Conselho Nacional de Desestatização a inclusão da Pré-Sal Petróleo ao PND”, afirmou em seu primeiro pronunciamento como ministro de Minas e Energia

| quinta-feira, 12 maio , 2022

O novo ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, disse nesta quarta-feira (11) que seu primeiro ato como novo comandante da pasta será uma solicitação ao ministro da Economia Paulo Guedes para que se iniciem os estudos para viabilidade das alterações legislativas necessárias à desestatização da Petrobras.

Sachsida também citou a inclusão da PPSA (Pré-Sal Petróleo S.A.) ao Plano Nacional de Desenvolvimento (PND). “Que leve ao Conselho Nacional de Desestatização a inclusão da Pré-Sal Petróleo ao PND”, afirmou em seu primeiro pronunciamento como ministro de Minas e Energia.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) alterou o comando do Ministério de Minas e Energia nesta quarta-feira. Em decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU), Bento Albuquerque foi exonerado, a pedido, e Adolfo Sachsida foi nomeado para o cargo.

Sachsida incluiu entre suas prioridades dar prosseguimento ao processo de capitalização da Eletrobras. “É fundamental lançarmos o processo de capitalização, um sinal importante para atrair mais capital ao Brasil e mostrar ao mundo que o país é porto seguro do investimento”.

O ministro destacou que, durante sua gestão, irá focar em “medidas estruturais”, como forma de atrair investimento para o país.

“Temos que insistir na economia pelo lado da oferta. Precisamos melhorar os marcos legais e trazer mais segurança jurídica para o investimento privado, aumentando a produtividade da nossa economia e, com isso, expandindo a oferta agregada, o emprego e a renda dos brasileiros”, afirmou.

Sachsida atuava como chefe da assessoria especial de Assuntos Econômicos do Ministério da Economia. Também já foi Secretário de Política Econômica entre janeiro de 2019 e fevereiro de 2022 na pasta comandada por Paulo Guedes.

Fonte: CNN Brasil