contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner Pro sol

Publicidade

Prefeito de Dom Expedito Lopes será julgado pelo TCE

O Tribunal vai julgar, na próxima denúncia de irregularidade contra a prefeitura de Dom Expedito Lopes, referente ao exercício de 2015.

| sábado, 18 junho , 2016

O Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE-PI) vai julgar, na próxima quarta-feira (22), denúncia de irregularidade contra a prefeitura de Dom Expedito Lopes, referente ao exercício de 2015.prefeito-de-dom-expedito-lopes-alex-belo-281879555

A denúncia foi feita pelo presidente da Câmara, Jernando de Moura Leal contra o prefeito Alecxo de Moura Belo. De acordo com o vereador, o chefe do Executivo municipal, vem reiteradamente descumprindo a Constituição Federal, a Constituição Estadual do Piauí e a Lei Orgânica do Município de Dom Expedito Lopes, vez que somente realiza os repasses referentes ao duodécimo da Câmara Municipal, a seu bel prazer, ou seja, no dia e hora que lhe convém.

Segundo o presidente da Câmara, essa atitude inviabiliza o Poder Legislativo de cumprir a contento com suas obrigações, tais como pagamentos dos subsídios dos Vereadores, taxas de água; luz, telefone e demais despesas correntes.

Defesa

Dentre outras, em sua defesa o prefeito afirma que na verdade, a representação em questão é oriunda de perseguições políticas e não é baseada em fatos reais. As circunstâncias do fato foram severamente distorcidas para criar uma falsa ideia sobre o que efetivamente ocorreu. Insta salientar a imensa crise financeira que assola os pequenos municípios piauienses, principalmente o Município de Dom Expedito Lopes que depende exclusivamente dos repasses constitucionais.

E ainda, que há uma constante queda nos repasses ao Município, fato notório, o que dificulta imensamente o cumprimento das obrigações municipais tendo muitas vezes o gestor tendo que decidir qual despesa ele irá quitar em detrimento de outras, pois o dinheiro efetivamente ingressado nos cofres municipais não cobre o total de despesas do município, devendo o gestor priorizar o adimplemento de certas obrigações.

Tal afirmativa pode ser facilmente comprovada da análise dos extratos bancários anexados pelo próprio denunciante. Insta salientar, que diferentemente do que quer demonstrar o denunciante, Alecxo de Moura Belo, ora denunciado, não realizava o repasse referente ao duodécimo da Câmara Municipal ao seu bel prazer, de forma tirânica como quer demonstrar o denunciante na presente representação.

Fonte: Jornal de Picos