contato@webpiaui.com.br

Publicidade

banner Rout

Publicidade

PI é o segundo em parcela de eleitores com 16 e 17 anos

O número de eleitores jovens voltou a crescer em janeiro de 2024, interrompendo uma sequência de queda em eleições municipais

| sábado, 2 março , 2024

O Piauí é o segundo estado do país com a maior parcela de eleitores com 16 e 17 anos, para os quais o voto é facultativo, em ano de eleições municipais. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a faixa etária corresponde a 0,12% do eleitorado total do estado, que é de 2.610.273.

Em primeiro lugar está Tocantins, com 0,14% do eleitoral total do estado com menos de 18 anos e depois o Piauí. Complementa o ranking o estado da Paraíba, em terceiro lugar, com 0,10%. No final da tabela, estão o Distrito Federal (0,015%), o Rio de Janeiro (0,022%) e São Paulo (0,027%).

Ainda de acordo com o TSE, o número de eleitores jovens voltou a crescer em janeiro de 2024, interrompendo uma sequência de queda em eleições municipais.

“A última atualização do portal de Estatísticas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de janeiro, mostra que o eleitorado com faixa etária de 16 a 17 anos aumentou 14,22% em comparação ao último pleito municipal”, informou o TSE.

Para a cientista política e doutora pela Universidade de Brasília (UnB), Marcela Machado, o interesse dos jovens brasileiros pela disputa eleitoral pode ser justificado pelo recente histórico da política no país.

“As pessoas entenderam que tudo é política. Então não dá para ficar isento. Falamos sobre política em todas as rodas. As pessoas estão muito mais conscientizadas de que a política é algo que toca a todo mundo, e muito dessa conscientização é por conta das redes sociais: vídeos, ações e linguagens mais palatáveis para atingir esse público”, explica a cientista.

O aumento também tem relação com a falta de conhecimento sobre o que faz um prefeito ou vereador, por exemplo.

“Toca muito na questão da educação política. Jovens de 16 e 17 anos, se não sabem para que serve, qual é a função, o que vem de um vereador ou o que faz um prefeito, não se estimulam a participar daquele evento democrático”, completa Marcela.

Ainda segundo o Tribunal, a reversão foi iniciada em 2022, com crescimento de jovens eleitores acima de 51% na comparação com a última eleição geral. Desde 2018, as estatísticas do eleitorado brasileiro habilitado para votar mostram que o número de eleitoras e eleitores cresceu 6,21%, passando de 147 milhões para 156.454.011 pessoas nas Eleições 2022.

Fonte: Cidade Verde