contato@webpiaui.com.br

Publicidade

banner mamba

Publicidade

PGR pede suspensão do porte e apreensão da arma de Zambelli

A manifestação foi assinada pela vice-procuradora Lindôra Araujo e se deu em duas ações que questionam o envolvimento de Zambelli em uma perseguição armada

| terça-feira, 20 dezembro , 2022

A Procuradoria-Geral da República enviou ao Supremo Tribunal Federal uma manifestação na qual pede a apreensão da arma e de munições de Carla Zambelli e ainda a suspensão do porte de arma da deputada.

A manifestação foi assinada pela vice-procuradora Lindôra Araujo e se deu em duas ações que questionam o envolvimento de Zambelli em uma perseguição armada. A parlamentar foi filmada em 29 de outubro, nos Jardins, bairro da zona central da capital paulista, entrando em um bar com um revólver em punho. Ela disse ter reagido a provocações de um apoiador do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

As imagens mostram a movimentação de algumas pessoas em direção a um bar, localizado em uma esquina. Zambelli aparece na gravação atravessando a rua em direção ao estabelecimento com uma arma em punho.

Logo após a repercussão, a deputada publicou em suas redes sociais um vídeo em que descreve o ocorrido. Segundo ela, um grupo de homens tentou intimidá-la, e um deles a empurrou. Ela diz ter apontado o revólver na intenção de deter o sujeito até a chegada de policiais.

Segundo a PGR, a existência de indícios de autoria do delito de porte ilegal de arma de fogo torna necessária a adoção de medidas tendentes a evitar a prática de infrações penais, seja mediante a suspensão do direito ao porte de arma, seja mediante a entrega voluntária, seja ainda pela via da busca e apreensão pessoal ou domiciliar do armamento.

“O tensionamento político atual, a iminente transição pacífica de poder e o porte indevido da arma de fogo para suposto exercício do direito de defesa da honra revelam que a suspensão cautelar do porte e a apreensão da arma de fogo são medidas suficientes para coibir a reiteração do delito investigado e resguardar a ordem pública”, disse.

A PGR pediu ainda a concessão do prazo de 60 dias para que sejam iniciadas as tratativas para a celebração de acordo de não persecução penal com a investigada e a sua defesa técnica.

Fonte: CNN Brasil