contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner hemopi

Publicidade

Núcleo de Feminicídio inicia investigação em Picos

O grupo vai investigar o assassinato de Janaína Maria da Silva, 27 anos, ocorrido na madrugada de domingo no bairro Samambaia.

| terça-feira, 10 março , 2015

A secretária Interina da Segurança Pública, Eugênia Villa, empossou, na manhã desta segunda-feira (9), a delegada Tânia Miranda que, a partir de agora, ficará à frente do Núcleo Investigativo de Feminicídio do Piauí. Como primeira missão, a titular da nova Delegacia foi a Picos logo após assinar o termo de posse para investigar crime contra mulher registrado no município.

Secretária de Segurança, Eugênia Villa, e Tânia Miranda, do Núcleo Investigativo de Feminicídio do Piauí(Foto:Otavio Neto)

Secretária de Segurança, Eugênia Villa, e Tânia Miranda, do Núcleo Investigativo de Feminicídio (Foto: Otavio Neto)

Responsável pela investigação de assassinatos de mulheres, travestis e transexuais, a criação do Núcleo é uma ação pioneira do Governo do Estado do Piauí. “O núcleo vai concentrar em um único local a investigação de crimes contra a mulher. Antes do Núcleo esses crimes eram investigados de forma diluída e muitas vezes algumas peculiaridades dos casos acabavam se perdendo. Nosso trabalho será, justamente, aprofundar essa investigação, combater e punir esses agressores”, explicou a delegada Tânia Miranda, destacando que a criação do Núcleo está à frente ao Projeto de Lei que está para sanção da presidente Dilma Rousseff.

“Quero parabenizar ao Governo do Estado pela iniciativa e dizer que o que está sendo feito no Piauí é uma ação pioneira, já que o Núcleo vai investigar também assassinato de travestis e transexuais, crimes que não serão amparados pela lei que será sancionada pela presidente”, comentou.

A delegada Eugênia Villa destacou que uma das primeiras ações da delegada Tânia será um levantamento de todos os feminicídios notificados, concluídos e que os acusados estão foragidos. “Temos um índice muito grande de violência contra a mulher. Nesses casos, a maior dificuldade da polícia são as subnotificações que chegam a 70%. O trabalho da delegada Tânia será no sentido de prender todos os acusados de feminicídio e fazer com que os crimes que eles cometeram não fiquem impunes”, frisou.

O Núcleo Investigativo de Feminicídio do Piauí vai funcionar, inicialmente, no prédio da Delegacia de Homicídios.

Reportagem Tallita Tajra