contato@webpiaui.com.br

Publicidade

banner Rout

Moradores denunciam falta de acesso em rua de Picos

Na terça-feira (21) um vídeo publicado numa página do Instagram mostra uma idosa da rua Bela Vista sendo carregada em cadeira de rodas pelos moradores

| quinta-feira, 23 junho , 2022

Trafegar pela rua Bela Vista, no bairro Vila Barrão, em Picos, é uma situação complexa. O acesso ao local que está situado numa área de morro é apenas para pedestres e motociclistas. Devido a esta realidade, moradores denunciaram a falta de acessibilidade que tem trazido transtornos às famílias.

Na terça-feira (21) um vídeo publicado numa página do Instagram mostra uma idosa da rua Bela Vista sendo carregada em cadeira de rodas pelos moradores.

A situação é frequente como relata o morador que há mais de três décadas reside no trecho e que não quis ser identificado. Ele é responsável por transportar os idosos que precisam ter acesso a outros bairros de Picos para realizar atividades simples e/ou mesmo receber atendimento de saúde.

“É uma situação complicada. Aqui são os moradores que se voluntariam para descer o morro com os idosos. A minha mãe empresta a cadeira de rodas dela para os outros idosos e descemos. É uma situação complicada, quando o SAMU chega é da mesma forma. Não sobe carro aqui, só moto. Sempre reclamamos e nada é feito”, enfatizou o morador.

A dona de casa, Maria Santos, que reside há 30 anos na rua, lamenta a falta de estrutura, onde os moradores é quem arcam com a construção de paredões e limpeza. “Aqui é um descaso. Quando chove cai os aterros todos na rua, inclusive os moradores é quem tiram, paga o serviço, faz os paredões. Aqui só vem gente na política, depois somos esquecidos. Quando idoso adoece é o maior sofrimento, a gente é quem tira do bolso para fazer paredão. Não tem pavimentação, quando chove é uma lama danada. Moramos aqui com medo, mas o que podemos fazer”, disse Maria Santos.

Falta de pavimentação

A reportagem do Cidadeverde.com/picos percorreu a rua que não possui pavimentação. Os moradores improvisaram passagens e cimentaram o chão em frente a algumas residências.

Além disso, as famílias também construíram uma “cerca de proteção” com pedaços de madeira, móveis antigos e pedras para garantir maior segurança para as crianças brincarem.

Ao longo da encosta do morro, há muito mato e áreas sem nenhuma proteção, oferecendo riscos de acidentes. Diante do problema, a Secretaria Municipal de Obras foi contatada para saber se existem projetos buscando solucionar a situação. Mas até o momento não se obteve retorno. O espaço fica aberto para maiores esclarecimentos.

Por Paula Monize/ Cidade Verde