contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner Pro sol

Publicidade

Ministro anuncia investimento no aeroporto de Picos

Para o Ministro, existem duas opções: fazer ampliação do aeroporto picoense ou construir um novo aeroporto

| terça-feira, 28 janeiro , 2014

Seguindo o cronograma do Programa de Aviação Regional do governo federal, o ministro da Aviação Civil da Presidência da República, Moreira Franco, esteve na cidade de Picos na tarde desta segunda-feira (27), para discutir a possibilidade da reforma e ampliação ou a construção de um novo aeroporto.

Moreira Franco informou que em Picos existem duas opções: fazer as obras para ampliar o aeroporto ou se as condições impõem para fazer um novo aeroporto. “No mês de março a empresa contratada para fazer os trabalhos do projeto básico virá à cidade e certamente no final de março teremos uma ideia de qual caminho que vamos adotar nesses dois aeroportos [Picos e Bom Jesus] que são importantíssimos para a economia do estado”, informou o ministro.

Moreira Franco, ministro da Aviação-Foto: Romário Mendes

Moreira Franco, ministro da Aviação-Foto: Romário Mendes

Após entrevista, o ministro seguiu para a Associação Comercial de Picos. Com o auditório lotado, Moreira Franco discutiu o assunto com empresários e políticos da cidade e região.

Após as conversações, o ministro, empresários e autoridades presentes na discussão mostraram interesse em reformar e ampliar o atual aeroporto. ”O ideal é que nós possamos fazer as obras sem que aja a necessidade da construção de um novo aeroporto, que demora muito tempo. Não é uma obra que se faz de um dia para noite, enquanto que se nós conseguimos fazer as obras de ampliação e modernização desses dois aeroportos teremos condições de coloca-los a disposição da população muito mais cedo”, disse Moreira.

Para o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Picos (CDL), Cláudio Galeno, Picos vai ter realmente um aeroporto. ”Já existe os recursos, os estudos, portanto não temos dúvida que isso vai se concretizar o mais breve possível”, conta.

Acompanhando o ministro na visita, o prefeito Kleber Eulálio falou da importância da vista do ministro. Segundo o gestor, com a adequação do aeroporto ou a construção de um novo aeroporto irá ajudar a classe empresarial, além de ser fundamental para a economia do município.

Plano de Aviação Regional

Para fortalecer e ampliar a malha de aeroportos regionais, o Governo Federal vai investir R$ 7,3 bilhões na primeira etapa do plano de aviação regional. Serão contemplados nessa primeira fase 270 aeroportos regionais. As medidas permitirão aperfeiçoar a qualidade do serviço prestado ao passageiro, agregar novos aeroportos à rede de transporte aéreo regular, aumentar o número de rotas operadas pelas empresas aéreas.

Os investimentos previstos são da ordem de R$ 1,7 bilhão em 67 aeroportos na região Norte; R$ 2,1 bilhões em 64 aeroportos na região Nordeste; R$ 924 milhões em 31 aeroportos no Centro-Oeste; R$ 1,6 bilhão em 65 aeroportos no Sudeste; e R$ 994 milhões em 43 aeroportos na região Sul. O programa visa ampliar o acesso da população brasileira a serviços aéreos. O objetivo é que 96% da população brasileira esteja a menos de 100 km de distância de um aeroporto apto ao recebimento de voos regulares.

Os projetos promoverão a melhoria, o reaparelhamento, a reforma e a expansão da infraestrutura aeroportuária, tanto em instalações físicas quanto em equipamentos. Os investimentos incluirão, por exemplo, reforma e construção de pistas, melhorias em terminais de passageiros, ampliação de pátios, revitalização de sinalizações e de pavimentos, entre outros. Os recursos virão do Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC).

Dentre os critérios para análise de relevância do aeródromo serão consideradas características como o volume de passageiros e de cargas, os voos regulares e os resultados operacionais. Além disso, serão considerados aspectos socieconômicos, o nível de acessibilidade na Amazônia Legal, o potencial turístico e de fomento da integração nacional. Além de investimentos em aeroportos em cidades de pequeno e médio porte, serão contempladas medidas de incentivo à aviação regional com foco na viabilização de rotas de baixa e média densidades de tráfego.

Os planos de investimentos obedecerão as seguintes fases: diagnóstico da infraestrutura e da gestão dos aeródromos; elaboração do programa de necessidades de investimento e de projetos conceituais e termos de referência de equipamentos.

Com informações do Riachão Net