contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner Estado – museu

Publicidade

Ministério da Defesa nega saída do 3° BEC de Picos

Em ofício encaminhado à Assembleia, o Ministério garantiu que “o planejamento estratégico do Exército não prevê a transferência”

| quinta-feira, 26 junho , 2014

Em ofício encaminhado à Assembleia Legislativa, o Ministério da Defesa garantiu que “o planejamento estratégico do Exército não prevê a transferência” do 3º Batalhão de Engenharia de Construção (3º BEC) da cidade de Picos para outra localidade da federação. A resposta atende a requerimento do deputado Tadeu Maia (PTB) que, ao saber da possibilidade de mudança do batalhão para o Estado do Tocantins, encampou uma luta em defesa da manutenção da unidade no Piauí.3°bec9999

O ofício, assinado pelo coordenador das atividades parlamentares e assessor especial do ministro da Defesa, Ivan Cavalcanti Gonçalves, esclarece que não existe, no momento, a possibilidade de que a mudança seja efetivada e que não existem estudos para que isso ocorra.

Tadeu Maia apresentou o requerimento em 11 de fevereiro deste ano, quando surgiram comentários na cidade de Picos de que a transferência seria eminente. “Foram muitas as informações e o desespero de milhares de famílias que dependem do BEC para sobreviver, para ter o seu sustento. Apenas em salários são cerca de R$ 2 milhões mensais que circulam na cidade de Picos. A mudança seria muito drástica para toda a nossa região”, avaliou.

Ele considera como muito positiva a resposta do Ministério da Defesa e acredita que este é resultado de uma luta encampada inicialmente por ele e adotada por todos os parlamentares daquela região, representantes da população. “Não poderia deixar de comemorar com ênfase essa conquista, que teve o apoio dos nossos três senadores, dos dez deputados federais, de toda a Assembleia Legislativa e do governador da época, Wilson Martins. Este não é ofício qualquer, é o resultado de uma luta coletiva em defesa de um patrimônio que está no Piauí desde o início dos anos 70”, frisou.

Reportagem Durvalino Leal – Edição: Caio Bruno