contato@webpiaui.com.br

Publicidade

banner Rout

Médicos cubanos chegam a cidade de Picos

Os profissionais atuarão na atenção básica do município através do Programa Mais Médicos do Governo Federal

| quarta-feira, 11 dezembro , 2013

A secretária de Saúde de Picos, Ana Eulálio, apresentou na manhã desta terça-feira (10), os dois médicos cubanos, que irão trabalhar na cidade, através do Programa Mais Médicos, do Governo Federal.

Secretária Ana Eulálio apresenta os dois médicos cubanos-Foto: Romário Mendes

Secretária Ana Eulálio apresenta os dois médicos cubanos-Foto: Romário Mendes

Idalmis Torres Pérez, e Henry Quintero Gallo chegaram a Picos ontem, dia 9. Os profissionais deverão começar os trabalhos na próxima semana, uma vez que eles ainda aguardam o chamado Registro Único, do Ministério da Saúde, documento que habilita ao exercício da profissão dos estrangeiros no Brasil dentro do Mais Médicos.

De acordo com a secretária Ana Eulálio, mais sete profissionais do Programa Mais Médicos estão previstos para vir prestar serviço à população picoense.

Os dois profissionais irão trabalhar nas Unidades Básicas de Saúde do município, sendo que Idalmis Torres irá prestar serviço no Belinha Nunes, no bairro São José e Henry Quintero irá prestar serviço na Unidade Básica do bairro Morada do Sol.

“Essa primeira semana ela é dedicada mais a integração com a equipe da secretaria, um reconhecimento da nossa realidade local nas unidades básicas, um contato com os profissionais que trabalham nesses locais”, conta a secretária.

Antes de vir para a cidade modelo, os médicos passaram cerca de 45 dias em Brasília, realizando treinamentos e uma semana em Teresina para se habituarem a cultura local.

Em entrevista ao Riachaonet, a médica Idalmis Torres Pérez, disse que veio ao Brasil trabalhar e ajudar a todos que necessitam do seu trabalho. “Vim trabalhar com a comunidade e melhorar os problemas da saúde que existe nela”, disse a médica cubana.

Na oportunidade, ela agradeceu a receptividade dos brasileiros e principalmente dos piauienses. Em relação a comunicação com os brasileiros a médica da para entender a nossa lingua, mas sente dificuldade em transmitir a mensagem em virtude do português ser um idioma novo para eles.

No entanto, ela garante que a dificuldade na comunicação não irá atrapalhar o seu trabalho, uma vez que eles irão buscar outras vias para se comunicarem com os pacientes.