contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner hemopi

Publicidade

Manifestantes cobram prisão de suspeito de estupro em Hospital

Os manifestantes também cobraram que o julgamento do caso seja realizado de maneira rápida pelo judiciário

| quinta-feira, 3 dezembro , 2020

Estupro no São Marcos: familiares e amigos fazem protesto e pedem prisão do  acusado - Polícia - Portal O Dia

Familiares e amigos da empresária vítima de um estupro nas dependências do Hospital São Marcos, em Teresina realizaram uma manifestação na manhã desta quinta-feira (03) em frente a sede do Tribunal de Justiça do Piauí. Com cartazes, eles pediram celeridade na apuração do caso e a prisão preventiva do enfermeiro suspeito de praticar o crime.

“Hoje só queremos que a justiça seja feita. O caso já tem 34 dias. A delegada Vilma fez seu trabalho e pediu a prisão preventiva, a gente só quer que a Justiça cumpra. Ele representa perigo para a sociedade. O lugar de estuprador é na cadeia”, afirmou Laerte Paixão, amigo da vítima e um dos organizadores do ato.

Os manifestantes também cobraram que o julgamento do caso seja realizado de maneira rápida pelo judiciário.” O que a gente quer é que ele seja julgado o mais rápido possível. Que ele tenha todo o direito de defesa, mas que seja julgado logo”, disse.

Os familiares e amigos da vítima questionam a versão de que o enfermeiro possui problemas mentais. De acordo com eles, o suspeito teria procurado atendimento psiquiátrico somente dias após o episódio vir a tona.

Procurado pela reportagem o Tribunal de Justiça do Piauí informou, por meio de sua assessoria de comunicação, que o caso já está com o juiz titular da vara, mas corre em segrego de justiça, por se tratar de um estupro.

Relembre o caso

O caso foi registrado no dia 30 de outubro, nas dependências de um hospital particular do centro de Teresina. O enfermeiro é suspeito de dopar e estuprar a acompanhante de um paciente. O suspeito é cunhado da vítima, uma empresária de 44 anos de idade.

Dias após o crime, o suspeito foi afastado de suas funções no hospital e alegou problemas psicológicos e chegou a ser internado no hospital Areolino de Abreu.

O caso ganhou repercussão nas últimas semanas, e o Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (Coren-PI) instaurou um processo ético disciplinar contra o enfermeiro.

Por Natanael Souza
Cidadeverde.com