contato@webpiaui.com.br

Publicidade

banner Rout

José Ayrton: “Não vou pedir pra sair e nem pra ficar”

Esta afirmação é do diretor do Hospital Regional Justino Luz ao comentar sobre uma possível mudança nos cargos de confiança com a saída de Wilson Martins

| terça-feira, 25 março , 2014

Com a saída do governador Wilson Martins ainda no mês de abril do cargo para concorrer às eleições ao Senado as coisas devem mudar em todo o Estado como, por exemplo, os cargos comissionados de várias instituições públicas.

José Ayrton Bezerra - Jesika Mayara

José Ayrton Bezerra – Jesika Mayara

A respeito disso o então diretor do Hospital Regional Justino Luz de Picos, José Ayrton Bezerra,  que está à frente da instituição há dois anos falou sobre a possibilidade de deixar o cargo. “Não vou pedir pra sair e nem pra ficar. Estou aqui vivendo uma situação pessoal muito difícil em que pela escassez de material humano, principalmente de médicos, e por minha experiênciaeu funciono como multiprofissional além de diretor sou ortopedista, cirurgião geral, obstetra, ou seja, faço um pouco de tudo e não está sendo fácil. Quero deixar bem claro que não sou apegado ao cargo e sim ao hospital. O que eu quero é que quem esteja aqui que não renegue o hospital deixando-o em segundo plano a espera de um novo hospital. Dessa forma estamos deixando bem claro isso para que o novo governo se precisar, possa fazer as mudanças aqui que fique bastante a vontade.” Afirmou o gestor.

José Ayrton disse ainda que o cargo para ele significa doação e cumplicidade e que espera que as obras que foram iniciadas não sejam afetadas com as mudanças que o governo deve sofrer nos próximos dias.

O hospital que foi idealizado para funcionar apenas 10 anos já funciona a 40 e passa por problemas estruturais e materiais. Falta material humano, principalmente médicos aproximadamente 100 novos profissionais, é preciso que haja um concurso público para contratação e novos servidores de forma legal. Além de atender mais de 40 municípios de toda a região.

“Se o futuro governador me convidar a permanecer à frente do HRJL bem, porém se ele tiver outro nome para indicar ao cargo eu o passarei com a maior naturalidade numa boa. Sem me apegar a isso e quem vier para cá terá que vir com o sentimento de doação, pois gerir um hospital desse porte e com essas dificuldades e não poder atender com toda a plenitude é muito desgastante”, afirmou José Ayrton.

Fonte: Portal O Povo