contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner Pro sol

Publicidade

Hugo Victor garante aprovação de projetos importantes

Na última sessão três projetos de interesse da população foram aprovados com o apoio decisivo do presidente da casa

| terça-feira, 29 outubro , 2013

O Presidente da Câmara Municipal, vereador Hugo Victor (PMDB), falou da importância da aprovação dos três projetos lei, do executivo municipal, votados e aprovados em primeira votação pelo legislativo de Picos, na sessão da última quinta-feira (24/10).

Dentre os projetos aprovados estão, o reajuste aos vencimentos pagos aos servidores públicos municipais, o projeto que altera a Lei nº 2.474/13, que dispõe sobre a organização administrativa do executivo, que tem como objetivo a criação da Coordenação da Mulher e o projeto que aprova o regulamento disciplinar do cargo de Guarda Municipal de Trânsito no município.

Em relação o reajuste salarial, Hugo Victor diz que os servidores irão receber um aumento de 6,4% já a partir do mês de novembro desse ano. Outro ponto citado pelo presidente é a fixação de uma data base para o reajuste. “Todo mês de maio esse aumento será concedido automaticamente, não precisa mais enviar lei para a câmara”, explicou.

O presidente acomapanhou as discussões - Foto: Marinalva Ribeiro

O presidente acomapanhou as discussões – Foto: Marinalva Ribeiro

Para o parlamentar, é de suma importância a criação da Coordenação da Mulher no município de Picos, tendo em vista a grande representatividade do gênero na sociedade, e que servirá também, como ponto de apoio às mulheres, na reivindicação de seus direitos. “Hoje em dia grande parte da população, é composta de mulheres, que a gente tenha essa coordenação específica pra elas”, frisou.

De acordo com Hugo Victor, é uma luta antiga dos guardas municipais, a regulamentação do cargo e a criação de gratificações. “Sabemos que eles trabalham várias horas, mais do que diz a legislação; tem que ter gratificação por hora extra, pelo trabalho que fazem. Então essa lei regulamenta toda essa questão”, pontuou.