contato@webpiaui.com.br

Publicidade

banner Rout

Publicidade

Empresa deve assumir controle da Cepisa até outubro

A Cepisa foi leiloada pelo valor simbólico de R$ 50 mil nesta quinta-feira (26). A Equatorial Energia foi a única a dar lance

| quinta-feira, 26 julho , 2018

A empresa Equatorial Energia deverá assumir a Companhia de Energia do Piauí (Cepisa) até outubro deste ano, quando ocorrerá a assinatura do contrato de concessão. A Cepisa foi leiloada pelo valor simbólico de R$ 50 mil na manhã desta quinta-feira (26). A Equatorial Energia foi a única a dar lance.

O presidente da Eletrobras Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, promete que a redução da tarifa em 8,5% para o consumidor deverá ocorrer após 45 dias da assinatura do contrato.

A expectativa é de que até o final deste ano os usuários sejam beneficiados com essa redução. Ferreira Junior avaliou o leilão como positivo.

“É importante destacar que o leilão tinha como princípio a redução da tarifa, com capitalização da companhia em R$ 720 milhões, importante para viabilizar investimentos, e o pagamento de outorga ao Tesouro Nacional em R$ 95 milhões. A empresa (Cepisa) está avaliada em R$ 50 mil e permanece com esse valor simbólico”, explicou o presidente da Eletrobras.

Servidores

O processo de privatização foi acompanhado sob protestos por parte dos funcionários e servidores da Cepisa. Alguns temem a demissão em massa.

Augusto Miranda, diretor presidente da Equatorial Energia, empresa vencedora do leilão, ressaltou que buscará o diálogo com o sindicato dos servidores e “buscará a racionalidade”. Ele enalteceu a transparência do processo em que o leilão ocorreu.

Miranda destacou que a Equatorial Energia já atua no Maranhão, estado vizinho do Piauí, e “já imprimiu um bom conhecimento da própria população”

“Temos uma proximação muito forte para dizer que a gente conhece o estado (do Piauí)”. defende o presidente da empresa.

Questionado sobre um plano de desligamento, por exemplo, dos servidores mais antigos, Augusto Miranda rebateu que a Equatorial é “uma empresa responsável”.

Por Carlienne Carpaso
Cidadeverde.com