contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner hemopi

Publicidade

Em depoimento, Capitão confessa que matou namorada

O oficial da PM revelou para a Polícia onde o corpo da jovem foi ocultado, no Povoado Mucuim, zona Sudeste de Teresina

| quarta-feira, 1 novembro , 2017

Em entrevista coletiva realizada na secretaria estadual de Segurança Pública, o coordenador da Delegacia de Homicídios, Francisco Costa, o Baretta, informou que o capitão da Polícia Militar, Allisson Watson, confessou o assassinato da namorada Camilla Abreu, 21 anos. Ontem (31) o oficial da PM revelou para a Polícia Civil onde o corpo da jovem foi ocultado, no Povoado Mucuim, zona Sudeste de Teresina.

Em depoimento, o capitão tentou desqualificar a estudante, disse que o crime foi motivado por ciúme e alegou que o disparo que atingiu a jovem foi acidental. No entanto, o delegado Baretta assegurou que a Polícia Civil não acredita na versão do PM.

“A Policia Civil não acredita na versão dele. Apesar de estar acompanhado de advogados que devem ter instruído ele. A dinâmica é totalmente diferente. A defesa diz que foi um tiro acidental. Que ele teve uma discussão com ela e tentou tomar a pistola que ela pegou. A pistola disparou e atingiu ela. A dinâmica mostra diferença no que foi alegado pela defesa porque os passos dele subsequentes dele foi tentar destruir as provas e ocultar o cadáver”,disse o coordenador da Delegacia de Homicídios.

O delegado relatou que Camilla foi assassinada entre 2h e 3h da madrugada de quinta-feira (26). “Às 20h o capitão foi deixar Camilla na faculdade, às 22h foi para o Bar da Brahma, os casal e uma amiga, às 1h:45min foram deixar a amiga em casa e depois Camilla não foi mais vista. O crime aconteceu em um mirante que fica usina Santana”, informa Baretta.

O delegado geral Riedel Batista esclarece que o crime caracteriza feminicídio no entanto, como houve ocultação de cadáver, o inquérito vai ser concluído na Delegacia de Homicídios.

O secretário estadual de Segurança Pública, Fábio Abreu, garante que o capitão será punido de forma rigorosa. Abreu, que também é capitão da PM, defende, ainda, a expulsão de Alisson Watson dos quadros da Polícia Militar.

“Orientamos os delegados para que eles tenham todas as peças possíveis para que esse indivíduo seja punido rigorosamente. Temos que ter esse caso como exemplo de que não haverá nenhum tipo de impunidade. E a minha vontade é que ele seja expulso porque a Polícia Militar não pode ter em seus quadros uma pessoa com esse comportamento”, pondera Fábio Abreu.

Fonte: Cidade Verde