contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner Pro sol

Publicidade

Assis debate demandas do setor do mel

O setor mostrou preocupação com alguns pontos do Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária dos Produtos de Origem Animal

| sexta-feira, 14 fevereiro , 2014

Membros da Frente Parlamentar da Apicultura e da Cajucultura se reuniram, quinta-feira (13), com o ministro da Agricultura, Antônio Andrade, e com representantes do setor apícola brasileiro. O encontro contou com a participação do presidente da frente parlamentar, deputado federal Assis Carvalho (PT/PI), e representantes da Associação Brasileira de Exportadores de Mel (Abemel), Associação de Apicultores do Distrito Federal; e das Federações de Apicultores de São Paulo e Santa Catarina.

mapa 4

A pauta da reunião foi a preocupação do setor com alguns pontos do Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária dos Produtos de Origem Animal (Riispoa) que terão influência na cadeia produtiva dos produtos das abelhas.

Um dos pontos apresentados pelo setor foi que os estabelecimentos chamados de entrepostos de mel tenham o direito de receber as matérias primas como o mel centrifugado, a própolis, o pólen e outros produtos de abelhas do produtor primário.

O setor solicitou ainda que as chamadas casas de mel do apicultor – definidas no Riispoa como unidades de extração de produtos apícolas – não necessite de obrigatoriedade de registro junto ao Ministério. “O apicultor primário não tem recursos para arcar com essas exigências. E entendemos que o nosso pleito não trará qualquer prejuízo sanitário à qualidade da produção”, destacou a secretária executiva da Abemel, Joelma Lambertucci.

Assis Carvalho ressaltou a importância de dar agilidade aos ajustes. “Não podemos emitir um decreto sem fazer as alterações necessárias”, destacou o parlamentar.

O ministro destacou a importância de promover o diálogo entre o setor e o Ministério. “A minha filosofia é que os representantes do setor estão vivenciando as atividades. Então, precisamos encontrar um meio termo entre o papel do Ministério e as necessidades dos produtores”, disse.

Os representantes do setor se reuniram, então, com o secretário de defesa agropecuária, Rodrigo Figueiredo, para debater os pontos de impasse.