contato@webpiaui.com.br

Publicidade

banner Rout

Adutora do Sertão vai bastecer mais de 50 municípios

A Fundação Nacional de Saúde, CPRM, Codevasf, Exército e Defesa Civil estão discutindo o projeto e formas de fazer a execução da obra

| quarta-feira, 16 novembro , 2016

violeta_2444A Adutora do Sertão é tida como uma alternativa viável e definitiva para os problemas de abastecimento de água em uma região compreendida entre mais de 50 municípios. A Fundação Nacional de Saúde, CPRM, Codevasf, Exército e Defesa Civil estão discutindo o projeto e formas de executá-lo.

O projeto foi elaborado pela CPRM – Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais e a estimativa de custo é de R$ 1 bilhão, um custo considerado modesto, diante da existência de 37 poços na região, o que barateia o orçamento em cerca de R$ 100 milhões. Os técnicos do órgão destacam ainda a qualidade da água, sem necessidade de passar por estações de tratamento, um outro fator de barateamento.

A Fundação Nacional de Saúde se propõe a destinar recursos tanto para a elaboração do projeto de viabilidade técnica quanto para a execução da obra. “A Funasa está preocupada com a questão dos 51 municípios que podem ser atendidos pela adutora. Temos orçamento não só para execução de obras, mas também para a elaboração de projetos. Estamos tentando dar prosseguimento a esse projeto tão bem elaborado pelos técnicos da CPRM, pelo engenheiro Chico Lages, que é o grande entusiasta desse estudo. É uma alternativa definitiva para o problema de abastecimento de água nessa região”, afirma Henrique Pires, presidente da Funasa.

Segundo o projeto, a água a ser captada é subterrânea, direto dos poços localizados na região do Vale do Gurgueia, passando pela adutora até o município de Caracol, onde fica o ponto mais alto, para, daí ser distribuídas para as demais 50 cidades através de um rede tubular por gravidade.

Entre os municípios a serem atendidos estão Acauã, Alagoinha, Alegrete, Anísio de Abreu, Avelino Lopes, Belém, Betânia, Bonfim, Caldeirão Grande, Campo Alegre do Fidalgo, Campo Grande, Capitão Gervásio Oliveira, Caracol, Caridade, Conceição do Canindé, Coronel José Dias, Corrente, Cristalândia, Curimatá, Curral Novo, Dirceu Arcoverde, Dom Inocêncio, Fartura, Francisco Macedo, Francisco Santos, Fronteiras, Guaribas, Jacobina, Jaicós, Júlio Borges, Jurema, Lagoa do Barro, Marcolândia, Massapê, Monsenhor Hipólito, Morro Cabeça no Tempo, Padre Marcos, Parnaguá, Patos, Paulistana, Pio IX, Queimada Nova, São Braz, São Francisco de Assis, São Julião, São Lourenço, São Raimundo Nonato, Sebastião Barros, Simões, Várzea Branca e Vila Nova.

Os órgãos envolvidos apresentaram o projeto para o senador Elmano Férrer (PTB) para que ele avalie a possibilidade de destinar emendas e auxiliar a tramitação e aprovação do projeto.