contato@webpiaui.com.br

Publicidade

banner Rout

Sindserm discute reajuste anual do Fundeb

Reunião foi realizada no auditório da Associação Comercial e contou com a presença de servidores municipais e diretores do Sindserm

| quarta-feira, 16 julho , 2014

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Picos (Sindserm) reuniu-se na tarde do dia 11 de julho com professores da rede pública de ensino para discutir o ajuste anual do Fundeb. Também em pauta a complementação do piso salarial nacional dos professores e outros assuntos de interesse da categoria.

Imagem: José Maria Barros/GP1

Imagem: José Maria Barros/GP1

O encontro foi realizado às 16h30 no auditório da Associação Comercial de Picos e demorou cerca de duas horas. Presentes professores da rede municipal de ensino e diretores do Sindserm, dentre os quais a presidente Edna Moura e o assessor jurídico, advogado Francisco Casimiro.

Durante a reunião foram prestados alguns esclarecimentos sobre o andamento de processos judiciais impetrados na justiça comum por servidores da Educação e que estão relacionados ao anuênio.

Segundo a presidente do Sindserm, Edna Moura, em relação a um processo que trata de retroativo de servidores que foram enquadrados no serviço público em 2010 como classe A e reenquadrados em 2013 como classe B, não houve acordo. A Prefeitura de Picos pediu vista no processo.

Entretanto, o tema mais polêmica da reunião foi uma possível complementação salarial e fundos de reserva de um dinheiro repassado para a Educação do município ao qual os trabalhadores teriam direito.

“Sobre isso existe um debate em curso entre os servidores de que a Educação teve ou tem um recurso que deve ser repassado para os professores. Em razão disso, muitos deles estão ingressando na justiça por conta própria, sem a orientação do sindicato” – informa Edna Moura.

A sindicalista disse que foram prestados aos servidores esclarecimentos sobre um dinheiro de complementação de ajuste do Fundeb. Foi explicado, no entanto, que caso esse dinheiro exista será distribuído em forma de abono no final do ano e para todos os professores e não apenas para quem ingressou com ação na justiça.

O Sindicato alertou ainda aos servidores que, antes de ingressarem com qualquer ação na justiça contra o município através de outros advogados, que tenham consciência sobre a demanda. Que procurem saber se o que estão pedindo é real ou não.

Fonte: GP1