contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner Pro sol

Publicidade

Reforma previdenciária provoca corrida por aposentadoria

No Piauí, o pagamento da folha de inativos aumentou 17% este ano, enquanto a folha de ativou cresceu apenas 3%

| sexta-feira, 20 outubro , 2017

Imagem relacionadaOs servidores estaduais do Piauí não querem esperar a reforma da previdência para se aposentarem. Prova disso é que o gasto do governo com o pagamento da folha de inativos aumentou 17% este ano, enquanto a folha de ativou cresceu apenas 3%.

Segundo o secretário de Fazenda Rafael Fonteles, um levantamento da Secretaria de Administração e Previdência revelou que o Piauí tem 10 mil servidores com idade de se aposentar. Se todos eles quiserem aposentadoria agora, o déficit previdenciário aumentaria mais R$ 500 mil por ano. “Seria um problema inexorável”, acredita Rafael.

No ano passado, o déficit da previdência chegou a R$ 826 milhões. Em 2017, a previsão é de chegar a R$ 1 bilhão e a expectativa para 2022 é de um déficit de R$ 2 bilhões. “Fernando Henrique Cardoso tentou aprovar o aumento da alíquota de contribuição dos servidores de 12% para 25%, mas o Supremo Tribunal Federal proibiu, alegando confisco. Eu defendo o aumento para dividir o déficit com os servidores e não ficar apenas com a população”, declarou Fonteles.

O secretário lembra que a Reforma da Previdência poderia permitir uma alíquota maior da contribuição dos servidores e aumentar a idade de aposentadoria. “Assim, não retiraria as conquistas das categorias como militares, mulheres, trabalhadores rurais, que já representam 70% do total. Quando falo esses dados e esse alerta, quero é salvar o salário do servidor e evitar um colapso financeiro”, defende.

As declarações foram dadas por Rafael Fonteles nesta quarta-feira (18), durante a apresentação do balanço do segundo quadrimestre das contas do Estado, na Assembleia Legislativa do Piauí.

Por: Nayara Felizardo, com informações de Mayara Martins/ODia