contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner Pro sol

Publicidade

Quadrilha é presa tentando fraudar concurso da PM

Seis pessoas foram presas envolvidas no crime de repassar o gabarito por celular para candidatos que estavam fazendo a prova

| domingo, 1 dezembro , 2013

Uma operação realizada pela Polícia Civil do Piauí, através do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) e Núcleo de Inteligência, desarticulou neste domingo (01/12) uma quadrilha acusada de fraudar o concurso da Polícia Militar do Estado. “Aqui no Greco estão presos também quatro candidatos acusados de pagar para receber o gabarito. A princípio eles deram cerca de R$ 2 mil. O restante seria dado após a aprovação. O valor total poderia chegar a R$ 10 mil”, conta o delegado Menandro Pedro.

Policial abordando suspeita de passar gabarito – Foto: Reprodução/ Cidade Verde

Policial abordando suspeita de passar gabarito – Foto: Reprodução/ Cidade Verde

A ação, que recebeu o nome de “Operação Certame”, foi iniciada às 8h de hoje. De acordo com nota divulga à imprensa pelo presidente da Greco, delegado Menandro Pedro, um policial militar estava intermediando a venda de gabaritos.

O certame visa o provimento de 430 vagas na PM-PI. Os cargos disponíveis são para soldado e oficial da corporação, cujas remunerações iniciais são de R$2.047,63 e R$3.897,04, respectivamente, de acordo com edital. A seleção é organizada pelo Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (Nucepe) da Universidade Estadual do Piauí (Uespi). A primeira etapa, de aplicação de provas objetivas de múltipla escolha, ocorreu das 9h às 13h deste domingo (01).

A nota relata, ainda, que a quadrilha se organizava em Teresina, capital do Estado. Uma pessoa contratada pelo militar respondia a prova, passava o gabarito para o intermediador que retransmitia os dados através de celular para os candidatos que pagaram pelas respostas.A Polícia Civil também conseguiu identificar os participantes do concurso que estavam recebendo as respostas. O militar e os candidatos foram encaminhados para a sede do Greco para prestar esclarecimentos.

De acordo com o delegado Menandro Pedro, todos confirmaram a participação na fraude e informaram, inclusive, o preço pago pelo gabarito. O valor não foi informado pela Polícia Civil. A candidata que repassou as respostas também foi detida.

A operação contou com a participação de 40 agentes da Polícia Civil. O aparelho celular utilizado para transmitir os dados para os candidatos que pagaram também foi apreendido.

Polêmicas

O concurso da Polícia Militar do Piauí foi marcado por discussões polêmicas. O Ministério Público do Estado chegou a pedir a suspensão do certame devido o edital da seleção exigir altura mínima, quantidade mínima de dentes e exames para descartar HIV de candidatos.

Após análise da Secretária de Administração, pontos como a exigência de pelo menos 22 dentes naturais dos candidatos foi retirada, mas mantida a exigência de teste de AIDS para os aprovados em primeira etapa.

Inscritos

A concorrência total, de acordo com a direção do Nucepe foi de 30.506 candidatos para a primeira etapa. O número representa disputa entre 70,94 candidatos por vaga ofertada. As provas foram aplicadas pela capital e interior do Piauí.

Fonte: Cidade Verde