contato@webpiaui.com.br

Publicidade

banner Rout

Prefeito manda desobstruir galerias no Junco

O alagamento foi provocado por conta de construções às margens da BR-316 e de outras obras, que impedem o escoamento das águas.

| sexta-feira, 8 janeiro , 2016

Os moradores do bairro Junco, em Picos, bloquearam na manhã desta sexta-feira (08), por volta das 8:00h, a BR-316 em protesto por conta de alagamentos ocasionados pela chuva desta madrugada. Segundo eles, quase um quarteirão inteiro e cerca de 50 residências foram atingidas. Pneus e pedaços de madeira foram queimados.WSEWEWEASA

Os manifestantes bloquearam os dois sentidos da rodovia, uma das principais do Nordeste, causando um congestionamento de aproximadamente 5km. A reivindicação é que autoridades tomem as providências necessárias para que não haja mais prejuízos por conta das chuvas.

Ainda conforme os moradores, o alagamento foi provocado por conta da construção de um Posto de Combustíveis às margens da BR-316 e de outras obras, que impedem o escoamento das águas. O fogo tomou conta das duas vias e a fumaça negra pode ser vista há quilômetros de distância.

Providências

Ao ser comunicado, o Prefeito Padre Walmir Lima, imediatamente determinou que o Coordenador da Defesa Civil, Oliveiro Luz; o Secretário de Obras, Iata Rodrigues e o Secretário de Serviços Públicos, Mazin, fossem ao local, ouvir os moradores e providenciar medidas emergenciais para auxiliar no escoamento das águas e limpeza do local.

Oliveiro Luz, explicou que o problema aconteceu porque as casas estão em uma região que é de alagamento natural: ”Aquela região é conhecida como brejo de Seu Jorge, de muita retenção de água, a autorização para a construção do Posto foi equivocada, tanto por parte do CREA quanto da Prefeitura, na época da gestão anterior a de Kleber. As galerias tinham tamanho suficiente para dar vazão às águas, mas agora com as construções ali, não conseguem mais escoar e gera o alagamento.”

Para o Secretário Municipal de Obras, Iata Rodrigues, o problema se deu por causa das chuvas, um fator natural, e também devido a obras liberadas indevidamente por gestões anteriores: “ O diálogo com os moradores foi tranquilo e eles compreendem que o problema não foi causado nessa gestão. Duas ações estão sendo adotadas de imediato. A primeira ação é emergencial, nós estamos providenciando o escoamento das águas para que os moradores não sejam prejudicados ainda mais, e a outra ação é resolver o problema, procurando meios de abrir novos caminhos para escoamento de águas futuras. Essa é uma determinação do Prefeito, Pe. Walmir Lima, que nos pediu, pessoalmente, que déssemos total atenção às famílias atingidas” disse.