contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner Pro sol

Publicidade

Piauí monta força tarefa contra casos de microcefalia

O Aedes Aegypt é o transmissor da dengue e do Zika Vírus, doenças que estariam relacionadas a casos de microcefalia em bebês

| sexta-feira, 27 novembro , 2015

O governador Wellington Dias anunciou na manhã dessa terça-feira (27) que vai montar uma força tarefa para reduzir os casos de microcefalia no Piauí. Ele informou que 13 municípios serão prioritários, incluindo Teresina, devido aos altos índices de infestação do mosquito Aedes Aegypt. O mosquito é o principal transmissor da dengue, do Zika Vírus, doenças que estariam relacionadas a casos de microcefalia em bebês.wdaaa

Wellington participará hoje de reunião com representantes do exército, da Polícia Militar, dos Bombeiros e de órgãos governamentais, convocados para ajudar no combate à proliferação do mosquito.

“O nosso inimigo número um é o mosquito, temos que combatê-lo. Ele que transmite as várias doenças. Vamos priorizar os municípios com maior índice de infestação, que são 13 no estado”, declarou.

O governador disse que o governo vai montar Operações Mata Mosquito para reduzir os casos. Ele fez uma convocação também à população para que colabore e ajude a reduzir os índices de transmissão das doenças. Dias disse ainda que já esteve em contato com o ministro da Saúde, Marcelo Castro, para que ajude o estado a reduzir os casos de microcefalia e destacou que manterá um canal aberto com o Ministério.

Quatro grávidas detectados

A Secretaria de Saúde do Piauí (Sesapi) está monitorando quatro grávidas que receberam o diagnóstico de microcefalia em seus bebês. A preocupação é para saber se esses casos estão relacionados ao Zika Vírus. O diretor de Vigilância e Atenção à Saúde da Sesapi, Herlon Guimarães, disse que está sendo finalizado um protocolo que deverá ser seguido pelas unidades de saúde de todo o estado.

No Estado já foram detectados 27 casos de microcefalia em bebês neste ano. O número é considerado alto, já que era uma doença rara. Em 2014, foram apenas seis casos.

Um decreto do Ministério da Saúde alerta para o aumento dos casos no Nordeste e no restante do país.

Fonte: Cidadeverde.com