contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner Pro sol

Publicidade

Hugo Victor cobra ao governo repasses para Policlínica

Desde dezembro de 2014 que o Centro de Assistência Médica de Pico, conhecido como Policlínica, não recebe repasses do governo

| sábado, 28 novembro , 2015

O presidente da Câmara Municipal de Picos, Hugo Victor Saunders Martins (PMDB), voltou a cobrar do governo do estado que sejam feitos os repasses mensais para o Centro de Assistência Médica de Picos (Campi) mais conhecido como Policlínica.Hugo Victor cobra repasses para a Policlínica. Foto - José Maria Barros.

Segundo o parlamentar, o último repasse feito pelo governo do estado ao Campi foi em dezembro de 2014. Por conta disso, está comprometido o funcionamento da Policlínica, que, por sua proposta deveria oferecer atendimento nas áreas de neurologia, mastologia, reumatologia, cardiologia, ortopedia, ginecologia e cirurgia ambiental, beneficiando 39 municípios da região de Picos.

No início deste mês, acompanhado do prefeito de Picos, Padre José Walmir de Lima (PT) e do vereador José Luís de Carvalho (PSB), Hugo Victor participou de uma reunião, em Teresina, com o secretário estadual de Saúde, Francisco de Assis de Oliveira Costa.

Na oportunidade, ficou acertado que o convênio entre o governo do estado e a Campi seria renovado e, consequentemente, os repasses voltariam a ser feitos. “A Policlínica de Picos recebia anteriormente 227 mil reais mensais, mas esse valor foi reduzido para 187 mil por mês” – informou Hugo Victor.

Convênio

No último dia 4 de novembro, foi assinado um termo de aditivo de convênio entre a Secretaria Estadual de Saúde e o Município de Picos, através da Secretaria Municipal de Saúde, e o Centro de Assistência Médica de Picos. O extrato do documento foi publicado no dia 10 deste mês no Diário Oficial do Estado.

No aditivo, foi prorrogado o prazo de vigência do auxílio financeiro prestado pelo estado, sendo o repasse mensal estipulado em R$ 187.203,33. Ficou assegurado ainda que a Sesapi pagará ao Campi R$ 1.310.423,31 divididos em sete parcelas mensais no valor de R$ 187. 203,33.

O aditivo de convênio foi assinado pelo governador Wellington Dias (PT), secretário estadual de Saúde, Francisco Costa; prefeito de Picos, Padre José Walmir de Lima (PT); secretário municipal de Saúde, José Venâncio de Sousa Filho (Dudé) e pela diretora geral do Campi, Milena Valdinéia da Silva.

O vereador Hugo Victor alega, no entanto, que a questão burocrática foi resolvida, ou seja, o novo contrato assinado e publicado no Diário Oficial do Estado, só que os repasses até o momento não foram efetuados, deixando o Campi numa situação complicada.

“Após a publicação desse aditivo de convênio, a diretora do Campi esperava receber os recursos para colocar o funcionalismo em dia e voltar os atendimentos. Infelizmente, após esse trâmite burocrático, o repasse ainda não foi feito” – denunciou Hugo Victor.

Sem os repasses, o parlamentar alega que a Campi não tem como funcionar. Por isso, cobra do governo do estado que cumpra o que fora acordado, pois, caso contrário, quem vai perder é a população de Picos e de vários municípios da região.

Por José Maria Barros