contato@webpiaui.com.br

Publicidade

banner mamba

Publicidade

Governo Lula prevê reajuste real de 1,3% ou 1,4% ao salário mínimo

O senador eleito Wellington Dias também firmou compromisso com a continuidade do pagamento de 600 reais ao Auxílio Brasil já a partir de janeiro

Redação | quinta-feira, 3 novembro , 2022

O senador eleito Wellington Dias (PT-PI), indicado por Lula para acompanhar as questões do Orçamento, disse que a previsão da gestão petista é de um ganho real, acima da inflação, de 1,3% ou 1,4% no salário mínimo em 2023.

O parlamentar anunciou, em entrevista à GloboNews, que na quinta-feira 3 vai se reunir com o relator do Orçamento de 2023 no Congresso, o senador Marcelo Castro (MDB-PI) para começar a alinhar um plano estratégico com ações a curto, médio e longo prazo. Também participará da agenda o vice-presidente eleito Geraldo Alckmin (PSB).

A equipe terá que buscar soluções junto ao Congresso já que algumas propostas defendidas pelo presidente eleito, atualmente, não estão previstas no projeto orçamentário enviado pelo governo Jair Bolsonaro.

Dias falou em questões emergenciais ao Orçamento, momento em que anunciou compromisso com o reajuste salarial já no primeiro ano do governo.

“Garantir o reajuste do salário mínimo, que já tem uma previsibilidade pela inflação, mas o compromisso, já do primeiro ano, é de implementar a regra da média do PIB dos últimos cinco anos. Como houve queda [do PIB], como houve momentos mais elevados, momentos baixos, provavelmente, vai ficar aí em um patamar de 1,3%, 1,4% de ganho real neste primeiro ano. Mas precisa constar do Orçamento”, afirmou.

A manutenção do Auxílio Brasil também entrou na ordem de prioridades. “O objetivo é garantir a continuidade do Auxílio Brasil. Então, os R$ 600 segue em condições de pagamento, a partir de 1º de janeiro, não haverá descontinuidade, o que preciso? É uma PEC? A necessidade de constar no Orçamento? É isso que nós vamos garantir”, explicou o senador.

Outros temas como farmácia popular, orçamento das universidades, direcionado à merenda escolar, obras inacabadas também devem ser discutidos conforme enunciou o senador.

Fonte: Carta Capital