contato@webpiaui.com.br

Publicidade

banner Rout

Publicidade

Governador estranha operações em período eleitoral

A operação Itaorna, deflagrada nesta quarta(12), investiga supostas fraudes em licitações nas secretarias e órgãos do governo

| quarta-feira, 12 setembro , 2018

O governador Wellington Dias (PT) falou sobre operação que envolveu o Ministério Público Estadual e o Tribunal de Contas do Estado em busca de documentos de contratos de obras em pastas do governo e diz que ocorreu abuso de autoridade.

A operação Itaorna, deflagrada nesta quarta(12), investiga supostas fraudes em licitações nas secretarias de Turismo e Desenvolvimento Rural, no Instituto de Desenvolvimento do Piauí (Idepi), e nas Coordenadoria de Desenvolvimento Social e Lazer e Coordenadoria de Combate à Pobreza Rural.

Para Wellington Dias não faz sentido realizar uma operação para ter acesso a documentos e acredita que a operação tem razões políticas.

“Estou vendo muita coisa estranha. Já tivemos no período eleitoral uma operação que vem de 2012 e 2013 deixam para realizar operações. Foi assim nos transportes com as empresas, foi assim com a Semar, que o investigado também é uma empresa e agora várias áreas. Estamos falando de obras que não receberam nenhum centavo. São obras de R$ 400 mil. São obras que cumpriram a lei, com licitação legal, contrato legal, licenciamento, tudo dentro da legalidade. Lamento o espetáculo. Vivemos o momento em que lamentavelmente é um espetáculo, véspera de eleição, para que? Para interferir na eleição? Em razão disso pedi hoje uma agenda com os líderes para tratar sobre isso. Tem algo estranho. Defendo a transparência, o combate à corrupção, quero que alguém diga que houve algum pedido de documento de algum promotor, de qualquer juiz, do Tribunal de Contas, que não oferecemos prontamente as informações. É uma operação para pegar informação que poderíamos entregar. Não tem sentido. Vejo interferência no período eleitoral. Com qual objetivo? É isso que pergunto”, disse.

Wellington afirma que vai se reunir com a bancada hoje à tarde. Ele quer apoio para aprovar a lei de combate ao abuso de autoridade.

Wellington diz ser um defensor da democracia. Mas diz ser necessário evitar abusos.

“Queremos o apoio da bancada para aprovar lei que regulamenta abuso de autoridade. Não estou falando de retirar direito de ninguém. Mas estou falando de quem avisa. Prender alguém para pedir um contrato que ele poderia entregar se fosse pedido. Isso é um abuso. A lei só permite isso usando não há a forma tradicional de se resolver. A pessoa é presa, faz depoimento e vai embora. Era só para requerer um contrato. Isso afeta a economia, a política, eu lamento. Sou defensor da democracia. Sou defensor dessa democracia”, comentou.

Por Lídia Brito
Cidadeverde.com