contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner hemopi

Publicidade

Golpe do carro barato na internet faz vítimas em Picos

Os anúncios online geralmente oferecem condições de pagamento facilitadas, no entanto, o produto nunca está disponível

| domingo, 17 setembro , 2017

O golpe do carro barato pela internet está se propagando no Piauí. Após a polícia abrir investigação na cidade de Batalha para apurar uma tentativa contra clientes de Teresina, novos casos vieram à tona, desta vez no município de Picos. Lá a situação é mais grave e vem acontecendo há 4 meses e com vítimas.

Os anúncios nos classificados online geralmente oferecem condições de pagamento facilitadas, no entanto, o produto nunca está disponível e, em geral, encontra-se numa cidade diferente da que foi anunciado. O golpe acontece quando o cliente é induzido a depositar antecipado pelo menos o dinheiro da entrada do veículo.Nomes de lojas conhecidas são usados para tentar passar credibilidade ao negócio.

Segundo um empresário dono de uma loja de carros em Picos, os estelionatários chegam a se passar por gerentes do estabelecimento através do Whastapp e até falsificar notas fiscais.

“Eles pedem uma espécie de ‘calção’ que chamam e pedem que o cliente deposite em torno de R$ 1.500”, afirma o empresário, que registou Boletim de Ocorrência na delegacia.

Um cliente da cidade cearense de Campos Sales está entre os que teve prejuízo. Ele depositou R$ 540 na conta dos bandidos. “Descobrimos que a conta na qual depositam é de uma agência da Caixa do Ceará”, conta o empresário, que se passou por um cliente no Whastapp.

Veja as conversas:

Os próprios sites alertam aos consumidores para evitar depositar dinheiro antecipado e não acreditar em propostas que fujam a realidade. Os telefones usados nos anúncios geralmente não funcionam para ligações e o contato com o anunciante termina sendo apenas por aplicativos de mensagem.

A reportagem tentou contato com a polícia civil de Picos, mas não obteve retorno até o fechamento da matéria.

Nota fiscal falsa usada pelos criminosos:

Fonte: Cidade Verde