contato@webpiaui.com.br

Publicidade

banner Rout

Fred e Celso estão cotados para defender a SEP

Os dois defenderam a camisa do Altos esse ano e trabalharam ao lado do novo treinador do Zangão do Piauí, Nivaldo Lancuna

| terça-feira, 18 outubro , 2016

lancu898989O treinador Nivaldo Lancuna começa a esboçar o time que vai defender a camisa da Sociedade Esportiva de Picos na temporada 2017. Faltando alguns meses para iniciar a pré-temporada, o técnico se movimenta e busca nomes no mercado da bola. Entre os nomes com passagem pelo futebol piauiense, está o volante Fred e o zagueiro Celso. Os dois defenderam a camisa do Altos esse ano e trabalharam ao lado de Lancuna.

Segundo o técnico, o Picos já está praticamente montado, mas muitos dos contratos foram firmados verbalmente. Lancuna retorna ao Piauí amanhã (19) e já dá os primeiros passos como comandante do Zangão. “Eu chego para começar o trabalho, de início, com uma reciclagem com os atletas de base do Picos e assim tentar aproveitar cinco ou seis nomes. Durante esses dias também estaremos enviando os pré-contratos dos atletas e confirmar alguns outros jogadores”, frisou Lancuna.

Alguns jogadores são bem conhecidos do futebol piauiense. O meia Idelvando e do lateral Rhian, que defenderam o Parnahyba este ano, estão entre as pretensões.

Proposta do Picos

Sondado por quatro equipes, Nivaldo Lancuna conta que aceitou a proposta do Picos porque ela o atraiu devido a possibilidade de um maior investimento na montagem do elenco.

“A equipe do Picos aceitou minha proposta e principalmente minha forma de trabalhar. Eu expliquei para eles que a intenção é montar um time competitivo para brigar pelo título assim como eu fiz no Altos e conquistei vaga na Série D, Copa do Nordeste e Copa do Brasil. Quero repetir isso, só que agora pelo Picos”, afirmou Lancuna.

O treinador ainda afirma que sua comissão técnica também já está definida. A apresentação da equipe do Picos acontece somente no dia 02 de janeiro de 2017. O Zangão tem apenas o Campeonato Piauiense no calendário.

Por: Pâmella Maranhão – Jornal O Dia