contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner Estado – museu

Publicidade

Exames confirmam “febre do Nilo” em cavalos

A investigação atinge Aroeira do Itaim, Itainópolis, Jaicós, Vera Mendes, Geminiano, Santa Cruz, Paquetá e Santo Inácio

| sexta-feira, 26 dezembro , 2014

A Secretaria Estadual de Saúde do Piauí (SESAPI) confirmou o primeiro caso de febre do Nilo Ocidental em um equino, na cidade de Aroeira do Itaim, mesma cidade onde foi constatado e confirmado o caso em um homem infectado com o vírus, em setembro deste ano. A secretaria também está monitorando 41 pessoas da cidade e região que apresentaram algum sintoma.mormo-cavalos888

De acordo com nota divulgada pela secretaria os procedimentos para confirmar, a suspeita, de febre do Nilo, foram feitos junto com o Ministério da Saúde. A sesapi, ainda, aguarda resultados das amostras coletadas em humanos, aves silvestres, domésticas, equídeos e mosquitos para que seja dada continuidade a novas estratégias de trabalho.

Confira a nota na íntegra

A Gerência de Epidemiologia, da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), comunica o resultado positivo para o Vírus do Nilo Ocidental em um equino no município de Aroeira do Itaim, mesma área de ocorrência do caso humano, nas amostras coletadas em setembro de 2014.

Em continuidade ao processo de investigação epidemiológica na área afetada (Aroeira do Itaim/Itainópolis) e municípios circunvizinhos (Jaicós, Vera Mendes, Geminiano, Santa Cruz do Piauí, Paquetá, Picos e Santo Inácio), foram selecionadas em dezembro de 2014, 41 pessoas que apresentaram febre e algum sintoma neurológico, atendidas em serviços de saúde da região no período de junho a novembro de 2014. Este período foi selecionado pela ocorrência do caso notificado em junho de 2014 e pela investigação nas áreas: veterinária, entomológica e busca ativa de casos suspeitos em hospitais no citado período.

A Sesapi, juntamente com o Ministério da Saúde, realizou coleta sorológica dos 41 pacientes selecionados, cujo material foi encaminhado ao Instituto Evandro Chagas (IEC) e os resultados estão sendo aguardados.

Concomitantemente a esta investigação foi intensificado os seguintes inquéritos :
a) Veterinária – coleta de sangue em aves (galinhas) e equídeos (cavalos, jumentos e burros), realizado de forma amostral no raio definido a partir do caso índice.
b) Entomológico – realizado captura de vetores (mosquitos) através de armadilhas luminosas, aspiradores e isca humana. Todos os exemplares foram armazenados em nitrogênio e encaminhados ao IEC.
c) Aves silvestres – uma equipe especializada em pesquisas em aves silvestres do Ministério da Saúde, utilizou armadilhas para captura das aves nas proximidades da residência do caso índice, onde as mesmas estavam sendo domesticadas, foram coletadas sangue e liberadas para o meio ambiente.
d) Equipe do IEC procedeu a coleta sorológica em humanos residentes nas localidades onde foram coletadas amostras dos equídeos e aves.

A estratégia de trabalho foi dinamizada por reuniões com as diversas áreas: Gerência Regional de Saúde de Picos, Secretárias Municipais de Saúde, equipe técnica dos municípios envolvidos, cujo objetivo foi solicitar o apoio de todas as instâncias e sensibilização da área técnica na detecção de casos suspeitos, execução do fluxograma estabelecido para encaminhamento de possíveis casos suspeitos, bem como dar seguimento à vigilância para adotar medidas de controle na área.

As coordenações de Epidemiologia e Ambiental da Secretaria de Estado da Saúde aguardam resultados das amostras coletadas em humanos, aves silvestres, domésticas, equídeos e mosquitos para que seja dada continuidade a novas estratégias de trabalho.

Fonte: Portal AZ