contato@webpiaui.com.br

Publicidade

banner Rout

Delegado se emociona ao saber da prisão de ex-prefeito

Francisco Bernardone da Costa Vale foi preso na quarta-feira em sua residência no bairro Ininga, zona leste de Teresina

| sexta-feira, 11 abril , 2014

O delegado do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), Tales de Moura Gomes, se emocionou ao ser informado da prisão do assassino de seu avô, ex-prefeito de Aroazes, Manoel Portela, morto em 11 de dezembro de 1996. O acusado de ser o mandante do crime é o também ex-prefeito da cidade, Francisco Bernardone da Costa Vale, preso na quarta-feira (9), em sua residência no bairro Ininga, zona leste de Teresina, por volta das 15h30.

Delegado Tales Gomes, neto da vítima Foto: Reprodução

Delegado Tales Gomes, neto da vítima – Foto: Reprodução

A ação que resultou na prisão de Bernardone foi comandada pelo presidente do Greco, delegado Menandro Pedro, e o mandado foi cumprido sem que Tales soubesse.

Somente após a prisão, o delegado neto de Manoel Portela foi comunicado da decisão do desembargador do Tribunal de Justiça do Piauí, Erivan Lopes, que determinou a prisão de Bernardone e seu recolhimento à Casa de Custódia.

“A família esperava há 17 anos por essa prisão. Queremos que Justiça o mantenha preso e que ele cumpra a sentença”, declarou o delegado Tales Gomes.

O filho de Manoel Portela, Jean Portela, também se manifestou nas redes sociais e disse que a Justiça foi feita.

Caso Manoel Portela
Então presidente da Câmara de Vereadores de Aroazes, o gestor foi morto no dia 11 de dezembro de 1996, vítimas de dois disparos de arma de fogo, ao chegar em Teresina, no bairro Parque Piauí, zona Sul da Capital.

Manoel Portela foi o primeiro político do Estado a denunciar suposto esquema de desvio de verbas públicas com a utilização de notas frias. Ele morreu um dia antes de formalizar a denuncia no Tribunal de Contas do Estado e aos 65 anos de idade.

Fonte: Cidade Verde