contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner hemopi

Publicidade

Criminosos fazem “arrastão” em escola de Picos

Esta é a sexta vez que os ladrões arrombam cadeados e grades e furtam os equipamentos da escola estadual Ozildo Albano

| sábado, 5 dezembro , 2015

“Sinceramente eu não sei o que fazer porque não tem mais nem como se trabalhar aqui na escola. Nós não temos computador, não temos nada. E a gente fica de mão atadas porque da última vez que arrombaram [semana passada], eu mandei até um ofício para a 9ª GRE e eu disse na polícia que eles viriam no laboratório de informática porque lá tinha computador e isso interessava. Nós já sabíamos que isso ia acontecer. Mas infelizmente nós não podemos fazer nada”, esse relato indignado de crime anunciado é da diretora da Unidade Escolar Ozildo Albano, Raimunda Monteiro.coléfios44

Tamanha indignação da gestora não é por menos. Esse arrombamento ocorrido na madrugada deste sábado (05) foi o segundo que a escola estadual, localizada na Rua Marcos Parente, sofreu em apenas uma semana. A quarta ação criminosa do mesmo tipo ocorrida no Ozildo Albano só este ano. Pior ainda: a sexta invasão seguida de furto sofrida pela escola desde o ano passado.

E dessa vez o prejuízo foi maior ainda. Em meio a bagunça deixada pelos criminosos a diretora sentiu falta de 11 CPU’s de computadores, alguns monitores, dois violões do “Programa Mais Educação” e dois botijões de gás da cantina. Os arrombadores também promoveram vandalismo na escola. Grades das janelas e portas, ventiladores e centrais de ar, foram arrancados.

Como nas outras vezes a direção fez uma Boletim de Ocorrência na Delegacia Regional e comunicou o caso ao 4º BPM (Batalhão da Polícia Militar). Apesar do histórico de crimes, Raimunda Monteiro lamenta o fato de, segundo ela, até hoje ninguém ter sido preso ou alguns dos objetos furtados recuperados pelas polícias.

“Do que eu sei não foi tomada providência porque nós nunca fomos procurados para alguém dizer nada ou alguma coisa que tivesse sido feito. O certo é que todas as vezes que acontece isso eu vou na polícia. Os B.O’s estão ali e dá para fazer uma fogueira de tantos que eu já fiz. E fica por isso mesmo”, desabafou.

A diretora disse que a escola possui um vigia no quadro de funcionários, mas ele só trabalha nos turnos da manhã e da tarde quando está havendo atividades no local. Na avaliação da mesma, o fato do prédio da 9ª Gerência Regional de Educação está desativado facilita o acesso dos criminosos a escola. Ela também lamentou o fato de ninguém da vizinhança do colégio nunca ver ou ouvir nada em relação aos crimes. “É muita barulheira para que se arrombe isso e ninguém sabe de nada”, completou.

“A minha parte como gestora da escola nós estamos fazendo que é manter uma educação de qualidade, que é isso que nós temos na escola. Nossa escola é toda protegida por grade, por cadeado. O que mais eu poço fazer? Só o que eu estou fazendo. Infelizmente não está sendo suficiente porque estão acabando com a nossa escola. Agora eu só tenho a dizer que eu ainda agradeço a Deus. Porque são seis arrombamentos que fazem aqui, são materiais que eles levam, mas eles jamais vão levar a nossa vontade de trabalhar, nossa vontade de fazer uma educação de qualidade nessa escola. Jamais ninguém poderá roubar a intenção que nós temos de fazer com carinho o que nos fazemos”, concluiu a diretora.