contato@webpiaui.com.br

Publicidade

banner Rout

Wellington Dias negocia liberação de U$ 320 milhões

“O Congresso deve apreciar, em fevereiro, o pedido de empréstimo. Até março, esta solicitação deverá ser aprovada”, disse o gestor

| quinta-feira, 7 janeiro , 2016

Cumprindo agenda em Brasília, o governador Wellington Dias se reuniu com o secretário Executivo do Ministério do Planejamento, Dyogo Oliveira, nesta quarta-feira (6). No encontro, foram discutidos o contrato de financiamento com o Banco Mundial no valor de U$ 320 milhões e a implementação de um conjunto de medidas voltadas para o crescimento econômico do Brasil para o ano de 2016.noticia-2-04-09-4777

Wellington revelou que, dentre as medidas que serão adotadas para alavancar a economia, estão o pagamento e repactuação de dívidas com empreiteiros de obras que estão em andamento, mais investimentos na construção civil e, com isso, a geração de mais empregos nessa área.

Para o Piauí, o chefe do Executivo tratou do contrato, no valor de R$ 430 milhões, que vai contemplar a reforma e construção de 12 estações ferroviárias e compra de novos Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs). A pactuação faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC Mobilidade e vai modernizar o sistema de transportes do estado. “A intenção é que se tenha um transporte com mais qualidade, mais segurança e maior velocidade. Para a aquisição desses, já está garantido o recurso, que é proveniente do Tesouro Federal e de empréstimos junto à Caixa Econômica Federal”, informou o governador.

Ainda na reunião, Wellington acertou a liberação do crédito de U$ 320 milhões junto ao Banco Mundial. Segundo ele, o banco e o Governo Federal já aprovaram a liberação do crédito e a pendência agora é com o Congresso Nacional. “O Congresso deve apreciar, em fevereiro, o pedido de empréstimo. Até março, esta solicitação deverá ser aprovada”, declarou Dias. O gestor acrescentou que os recursos do Banco Mundial vai proporcionar a realização de investimentos que vão impactar em diversas áreas, como infraestrutura, saúde, educação, segurança, meio ambiente, regularização fundiária e investimentos rurais.