contato@webpiaui.com.br

Publicidade

banner mamba

Publicidade

Transição sugere carro blindado na posse; Lula ainda não decidiu

Entorno de Lula acompanha caso de bolsonarista preso e autuado por terrorismo após ter plantado explosivo perto do aeroporto de Brasília

Redação | terça-feira, 27 dezembro , 2022

Policiais e integrantes da transição de governo, responsáveis pela segurança do presidente eleito, apresentaram a Lula propostas de mudança para reforçar a segurança na posse no próximo domingo (1º). Uma das ideias é Lula não desfile em carro aberto, mas em veículo blindado.

Fontes envolvidas diretamente com o planejamento da posse disseram que é mais seguro para o presidente que seja feita a mudança , mas Lula ainda não bateu o martelo e há auxiliares dele que resistem a essa proposta.

A ideia foi apresentada a Lula após o caso do bolsonarista George Washington, preso e autuado por terrorismo após montar uma bomba nas proximidades do aeroporto de Brasília.

O artefato não explodiu, mas o preso afirmou em depoimento que a ideia era criar o “caos” e que o o ato foi planejado por integrantes de movimentos antidemocráticos em favor do presidente Jair Bolsonaro (PL), que ocorrem no quartel-general do Exército, em Brasília.

A equipe de segurança de Lula está acompanhando cenários dia a dia após esse caso . Segundo uma das fontes da segurança, “tudo será decidido mesmo na véspera da posse, quando tivermos o cenário final dos acontecimentos. Ainda não há decisão sobre o blindado, mas essas e outras medidas estão na mesa, em avaliação”.

Nesta terça-feira (27), pela manhã, o futuro ministro da Justiça, Flávio Dino , deve se reunir com o governador do Distrito Federal Ibaneis Rocha – que acompanhou de perto a prisão do bolsonarista da bomba e participa ativamente do planejamento da segurança da posse – e com o futuro ministro da Defesa, José Múcio.

Senado

Outro fato que chamou a atenção é que já foi identificada a presença do Bolsonarista durante uma audiência em uma comissão no Senado no fim de novembro. Isso levou o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), a reforçar a segurança até a posse.

Todos esses acontecimentos levaram o Senado Federal a endurecer as regras de segurança para acesso aos prédios.

Com exceção dos senadores, todos os funcionários, servidores, jornalistas e prestadores de serviço terão de passar pelos detectores de metal a partir desta segunda. O acesso de visitantes está proibido. O Senado afirma que é mais uma medida para reforçar a segurança na praça dos Três Poderes até a posse.

Fonte: G1