contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner Estado – museu

Publicidade

TJ-PI anula pena de aposentadoria contra juiz

Costa Neto foi denunciado por suposta prática de corrupção e afastado das funções em 2007

| terça-feira, 12 novembro , 2013

O Tribunal de Justiça do Piauí decidiu anular a pena de aposentadoria compulsória do juiz Francisco Gomes Costa Neto, denunciado por suposta prática de corrupção e afastado das funções em 2007. No entanto, o magistrado foi colocado em disponibilidade e não poderá voltar para suas atividades por enquanto.

Juiz Francisco Gomes Costa Neto - Chico Silva/Portal FCS

Juiz Francisco Gomes Costa Neto – Chico Silva/Portal FCS

Em fevereiro de 2007, os desembargadores do TJ-PI foram unânimes na decisão de afastar administrativamente o então juiz da comarca de Picos. A representação apontava “indícios fortes de cometimento de faltas graves”.

Costa Neto foi alvo de uma representação por indícios de suposta prática de corrupção, formação de quadrilha e crime organizado. A presidência nacional da Ordem dos Advogados do Brasil chegou a entregar um abaixo assinado ao TJ-PI em 2004, pedindo o afastamento do juiz por considerá-lo “persona non grata”.

Em outubro deste ano, o julgamento já era favorável a Costa Neto. O desembargador Luiz Gonzaga Brandão de Carvalho, relator do caso, opinou pela anulação do processo administrativo que resultou na punição. Votaram neste sentido Haroldo de Oliveira Rehem, Raimundo Eufrásio Alves Filho, Joaquim Dias de Santana Filho, Sebastião Ribeiro Martins, Erivan José da Silva Lopes, Pedro de Alcântara da Silva Macêdo e José Francisco do Nascimento.

O desembargador Ricardo Gentil Eulálio Dantas pediu vistas do caso, que só voltou a ser julgado no dia 7 de novembro. O magistrado foi voto vencido. Além dos que já haviam opinado pela anulação da punição ao juiz, votaram a seu favor José James Gomes Pereira e Oton Mário José Lustosa Torres.

A divisão entre os desembargadores foi maior quando colocada em pauta a disponibilidade do juiz até o reaproveitamento do mesmo em cargo vago semelhante ao que ocupava anteriormente. A votação nesse quesito terminou em 6 a 5.

Fonte: cidadeverde.com