contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner Pro sol

Publicidade

Servidores denunciam prefeito Padre Walmir à Polícia

O sindicato alega que o município há cinco meses não deposita os repasses previdenciários, causando um rombo de R$ 1.2 milhões

| sábado, 5 dezembro , 2015

Servidores públicos municipais de Picos das várias categorias comparecerem à Delegacia Regional de Polícia Civil na manhã desta terça-feira, 1 de dezembro, para registrar um boletim de ocorrência contra o prefeito Padre José Walmir de Lima. O motivo para tal ação é o rombo de R$ 1.231.510,00 no Fundo Previdenciário de Picos – Picos Prev. Os servidores foram recebidos pelo delegado do 2º distrito policial, Gilberto Franklin, porém, o Boletim de Ocorrência não foi registrado.

Servidores na delegacia

Servidores na delegacia

Segundo a direção do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Picos (Sindserm), como já existe uma representação no Ministério Público, o delegado sugeriu que fosse mantido primeiro um contato com a promotora de justiça, para depois adotar as providências.

Na terça-feira mesmo a presidente do Sindserm, Edna Moura, e o delegado Gilberto Franklin, foram até a sede da 1ª Promotoria de Picos para saber como está o andamento da representação. No entanto, não foi possível manter contado com a representante do Ministério Público.

Segundo o Sindserm, Edna Moura e o delegado Gilberto Franklin devem voltar a Promotoria nesta quinta-feira, 3, e, se for necessário para dar celeridade ao andamento da representação, o boletim de ocorrência será registrado na Polícia Civil.

O sindicato alega que o município vem descontando todos os meses dos contracheques dos servidores o percentual referente à Previdência, porém, há cinco meses não deposita o dinheiro no Fundo Previdenciário. O ato do gestor é considerado como apropriação indébita.

Representação

Não é só o Sindserm que está preocupado com o rombo na Previdência Própria do Município de Picos. O vereador Diógenes Nunes Medeiros (PPS) já denunciou o caso ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), a Procuradoria Geral de Justiça do Estado do Piauí e ao Ministério Público Estadual, este último através da 1ª Promotoria de Picos.

Em sua denúncia, o parlamentar alega que nesses casos deveria ser determinado o imediato bloqueio das contas da Prefeitura para o pagamento do atrasado. Segundo ele, o débito com o Picos Prev no período de junho a setembro de 2015 já está em R$ 1.231.510,00. Desse total, R$ 570.278,45 é referente à parte patronal, enquanto R$ 661.231,54 é da parte funcional.

Reportagem: José Maria Barros/ GP1