contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner Pro sol

Publicidade

Rodoviárias receberão R$ 6 milhões em investimentos

Permissionários não serão prejudicados e as tarifas de embarque só poderão ser reajustadas após a conclusão das reformas

| segunda-feira, 7 dezembro , 2015

O Governo do Estado firmou contrato de concessão com a Sociedade Nacional de Apoio Rodoviário e Turístico (Sinart) para gestão, administração e operação dos terminais rodoviários Governador Lucídio Portela, em Teresina, Terminal Zuza Baldoíno, em Picos e Terminal Dr. Filadelfo Freire de Castro, em Floriano. A empresa foi vencedora do processo licitatório para concessão do serviço. Com a parceria, serão investidos R$ 6 milhões em obras estruturais e emergenciais.rsssss

O governador Wellington Dias adiantou que os usuários e permissionários dos terminais rodoviários sentirão a diferença na qualidade dos serviços ainda neste mês de dezembro.

A Secretaria Estadual dos Transportes (Setrans) e a concessionária deverão fazer vistorias nos terminais e reuniões com permissionários para dar seguimento ao novo modelo de gestão.

Eduardo Pedreira, presidente do conselho administrativo da Sinart, afirmou que os permissionários não serão prejudicados com o novo sistema de administração. Pedreira explicou que serão cobradas tarifas de embarque e aluguel pelo uso do espaço das lojas. Este dinheiro será investido nas melhorias do espaço físico das rodoviárias. Segundo o representante da empresa, a intenção é privilegiar a mão de obra local e treinar os funcionários piauienses para, no futuro, ocupar cargos de gerência.

A superintendente de Parcerias e Concessões, Viviane Moura, explicou que as tarifas de embarque só poderão ser reajustadas após a conclusão das reformas e que qualquer aumento de preços deverá ser autorizado pelo Governo do Estado, responsável por fiscalizar a qualidade dos serviços prestados e combater o transporte clandestino.

Benefícios

Para Eduardo Pedreira, o Piauí vai ganhar muito com a parceria e com a concessionária, uma vez que, depois de dois anos, será paga uma outorga ao Estado, de acordo com o percentual de receita do faturamento dos terminais rodoviários. “É uma fonte de receita para investir em outras áreas, como saúde e educação”, garantiu o representante da Sinart.

O presidente esclareceu ainda que, após o prazo para administração dos terminais rodoviários, estes devem voltar para a administração pública e informou que a Sinart tem interesse em outros tipos de concessão do tipo PPP que o Governo irá oferecer.