contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner Pro sol

Publicidade

“Qualquer governador pode trabalhar alterações”

O governador Wellington Dias lembrou que após as eleições para governador, ele teve que fazer uma recomposição do governo

| quinta-feira, 12 maio , 2016

O governador Wellington Dias (PT) mandou um recado aos aliados que queiram pular o barco durante entrevista a tv de Tersina, direto de Brasília. Wellington Dias admitiu que poderá fazer mudanças na composição da base aliada ou na equipe de governo, caso algum partido não defesa o projeto do governo.dilma-e-wellingon-2444

“Fazer um governo com quem quer ser governo, com quem é apaixonado não é fácil, agora fazer quem quer navegar em caminho contrário, isso é muito difícil, por isso, qualquer governador, presidente, pode trabalhar alterações”, afirmou o governador.

Ele lembrou que após as eleições para governador, ele teve que fazer uma recomposição do governo. Dias ressaltou que nesse instante vai se voltar para acompanhar as eleições municipais e tentar encontrar uma saída para a crise política.

“Temos um projeto para o Estado e esse caminho eu não abro mão, então quem estiver neste projeto temos que trabalhar juntos na defesa dele. É aí onde a gente tem que muitas vezes fazer alterações. Repito, logo após a campanha tivemos que fazer alteração, tive que recompor o governo trazendo alguns líderes que aceitaram partilhar desse desafio de um governo até 2018”.

“Não há um plano programado que vai ter uma reforma, um plano, enfim, agora sempre que tiver uma necessidade faremos alterações, mas não há nada programado. Na política eu governo para todos, mas tenho um lado definido”.

Wellington Dias (PT) também se manifestou sobre o processo de impeachment no Senado Federal. O governador não acredita em situação política estável no país com a mudança de poder no Palácio do Planalto e avalia como “assustadora” a possível mudança de governo.

“Creio que é ruim a gente ter o afastamento de um eleito com 54 milhões de votos sem que se preencha os requisitos da constituição, sem haver um crime. Acho que essa parte é assustadora”, pontuou.

Wellington Dias também falou sobre o impacto que a mudança de presidência pode ter no Estado do Piauí. “Mesmo que passe por mais de dois terços o impeachment ainda assim é um governo transitório. É um governo que segue até 2018, ou seja, uma parte do mandato. Então olhando assim me coloquei uma parte desse período a disposição de um diálogo para a busca de alternativas”, explicou.

O governador comenta ainda como fica a relação política com aliados no Estado que votaram a favor do impeachment como o Partido Progressista (PP) e o PSD. “No Piauí e na política eu tenho um lado bem definido, ou seja, pessoas que mais do que outras compreendem e apoiam o projeto que encabeçamos então eu quero considerar esse item como algo muito importante para que a gente tenha um bom êxito no nosso mandato”, completou o governador.

Fonte: Cidadeverde.com