contato@webpiaui.com.br

Publicidade

banner Rout

Publicidade

Procurador vai apurar se houve abuso em operação do MPE

O governador foi pessoalmente entregar ofício para investigar abusos de autoridades em operações durante a campanha eleitoral

| quarta-feira, 19 setembro , 2018

Resultado de imagem para O procurador geral de Justiça, Cleandro Moura,O procurador geral de Justiça, Cleandro Moura, garantiu que o Ministério Público Estadual vai adotar medidas com relação às denúncias feitas pelo governador Wellington Dias (PT) de que integrantes do MPE estariam fazendo uso político da instituição.

O governador foi, pessoalmente, entregar ofício ao procurador e o presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE) para investigar eventuais abusos de autoridades em operações durante a campanha eleitoral. Wellington Dias esteve na sede do Ministério Público acompanhando da bancada na Assembleia Legislativa.

Cleandro Moura afirmou que as denúncias serão apuradas não por serem feitas pelo governo, mas por ser um procedimento normal do órgão. Ele evitou avaliar a posição do governo de visitar o órgão pedindo apuração das denúncias.

“O governador tem todo o direito de voz com relação a isso. Não posso prejulgar o colega. Ele tem autonomia funcional e acredito que agiu dentro das atribuições dele. Agora, temos que fazer os encaminhamentos necessários, apurar eventual falta funcional, abuso de autoridade, isso é normal dentro da instituição. Vamos analisar e verificar para saber que encaminhamentos vamos tomar”, destacou.

Sobre a possibilidade de operações futuras, Cleandro disse não ter conhecimento. “É normal que ocorra apuração dentro do Ministério Público. Não é porque é o governador, se fosse outro cidadão que se sentisse ofendido, por um membro do Ministério Público, teria apuração do mesmo jeito. Desconheço o processo que originou essas operações e desconheço eventuais possibilidades de operações futuras”, declarou.

O chefe do Ministério Público do Piauí ressaltou ainda que a instituição permanece aberta para o diálogo com representantes dos demais poderes e instituições. “Com o intuito de cumprir sua missão constitucional de garantir o cumprimento da lei e preservar a democracia”.

Por Yala Sena
Cidadeverde.com