contato@webpiaui.com.br

Publicidade

banner Rout

Polícia Civil pára contra reforma da previdência

Em Picos, cerca de 40 servidores se uniram no movimento que busca um tratamento isonômico às forças de segurança

| quarta-feira, 7 dezembro , 2016

pc2333Delegados, agentes, escrivães e peritos da Polícia Civil do Piauí paralisaram as atividades nesta quarta-feira (7). O protesto é contra a proposta de Reforma da Previdência apresentada pelo Governo Temer e enviada na segunda-feira (5) ao Congresso Nacional. A medida prevê o aumento da idade mínima de aposentadoria de 60 para 65 anos e o tempo mínimo de contribuição de 15 para 25 anos.

Em Picos, cerca de 40 servidores se uniram no movimento que busca um tratamento isonômico às forças de segurança, já que a Polícia Militar e as Forças Armadas estão excluídas da nova reforma.

“É uma PEC que fere todos os direitos adquiridos dos policiais civis e faz um tratamento desigual, vez que a Polícia Militar e as Forças Armadas estão excluidas dessa reforma, e a Polícia Civil não teve o mesmo tratamento. Em razão disso a Polícia Civil em todo o Brasil está mobilizada e a gente espera com isso reverter a situação e [garantir] um tratamento isonômico a todas as forças de segurança pública do país”, relatou o delegado regional Divanilson Sena.

Joel Joaquim dos Santos, diretor regional do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Piauí (SINPOLPI), diz receber a proposta de reforma como uma derrota à Polícia Civil e à Sociedade. “Isso é uma derrota fatal da Polícia Civil e da sociedade, porque a polícia já vem sucateada e esse é um tiro de misericórdia para acabar com as polícias de uma vez”, afirmou o sindicalista.

Fonte: Grande Picos