contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner Pro sol

Publicidade

Piauí receberá projeto piloto de regionalização da saúde

A meta do projeto é reduzir os casos de mortalidade infantil, de gestantes e a incidência de doenças cardiovasculares

| segunda-feira, 30 novembro , 2015

O governador Wellington dias se reuniu, neste domingo (29), com o ministro da saúde, Marcelo Castro e o secretário estadual de saúde, Francisco Costa. Em pauta, o fortalecimento da regionalização da saúde no estado e a implantação no Piauí, como um projeto piloto, de todas as redes de saúde pertencentes ao Ministério, como as redes de urgência e emergência, psicossocial e a rede de reabilitação.

Governador Wellington Dias em reunião com ministro Marcelo Castro( Foto: Ana Maria Costa)

Governador Wellington Dias em reunião com ministro Marcelo Castro( Foto: Ana Maria Costa)

Segundo o governador, a proposta é que o Piauí seja o pioneiro em um modelo de integração da rede hospitalar. “Nós tratamos sobre um plano de ação para o Piauí até 2018. Com a implantação desse projeto piloto nós vamos poder ter um sistema de avaliação e de monitoramento para a redução de casos como mortalidade infantil, mortalidade de gestantes e redução de incidência de doenças cardiovasculares, trabalhando principalmente a prevenção. O objetivo é garantir que a essência do Sistema Único de Saúde (SUS) possa ser alcançada no Piauí, servindo de parâmetro para o Ministério de Saúde”, esclareceu Wellington Dias.

Atualmente, os atendimentos de média e alta complexidade da saúde pública do estado se concentram, quase que em sua totalidade, em Teresina. O objetivo é expandir a oferta de atendimento, como por exemplo o tratamento de câncer e casos de urgência e emergência a hospitais regionais das maiores cidades piauienses, como Parnaíba, Picos, Floriano, Bom Jesus e Oeiras.

A maior utilização do Hospital Universitário também foi discutida. Segundo o ministro Marcelo Castro, a ideia é retirar do Hospital de Urgência de Teresina (HUT) o atendimento de urgência cardiovascular, transferindo a responsabilidade para o HU. “Uma maior utilização do Hospital Universitário, somada à otimização do Hospital Getúlio Vargas no atendimento de média e alta complexidade, para servir de retaguarda ao HUT, melhoraria consideravelmente o atendimento na capital”, pontuou Marcelo.