contato@webpiaui.com.br

Publicidade

banner Rout

Publicidade

PF faz operação contra desvio de recursos em prefeitura do PI

Os crimes apurados são de fraude à licitação, crime de responsabilidade, falsidade ideológica e uso de documento falso

Redação | quinta-feira, 24 agosto , 2023

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (24) a operação Varredura, com o objetivo de apurar suspeita de manipulação ilegal de procedimentos licitatórios relacionados a contratação de serviço de limpeza urbana e terceirização de mão-de-obra pela Prefeitura Municipal de Porto, a 165 km de Teresina.

Não foram realizadas prisões. O objetivo foi o cumprimento de sete mandados de busca e apreensão em endereços vinculados aos investigados, dentre eles órgãos públicos, residências e a empresa vencedora das licitações. As ordens foram expedidas pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região e estão sendo cumpridas nas cidades de Teresina e Porto.

A Polícia Federal informou a investigação iniciou após a realização de uma auditoria externa e processo de avaliação de contas da gestão municipal, além de documentados em relatório encaminhado pelo Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE/PI), que identificaram a existência de indícios de fraude e direcionamento das contratações em benefício da empresa que se sagrou vencedora das disputas públicas.

“Foram encontradas uma série de irregularidades em contratos e aditivos celebrados pelo ente municipal para prestação de serviços de limpeza pública e coleta de lixo, no valor pactuado inicial estimado em R$ 690mil, e para fornecimento de mão-de-obra em serviços comuns, no montante de R$ 3,3 milhões, pagos com recursos públicos do FUNDEB (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação) e FNS (Fundo Nacional de Saúde)”, informou a PF.

Segundo a Polícia Federal, o objetivo da operação é “interromper a prática criminosa, coletar provas para reforçar a tese investigativa e identificar outros servidores públicos ou particulares envolvidos no esquema, bem como recuperar bens e ativos adquiridos com os recursos desviados da Saúde e Educação”.

Os crimes apurados são de fraude à licitação na modalidade frustração do caráter competitivo, crime de responsabilidade, falsidade ideológica e uso de documento falso. A operação contou com a participação de cerca de 30 policiais federais.

A reportagem tentou contato com a Prefeitura de Porto, mas até o momento não obteve retorno. O espaço segue aberto para um posicionamento.

Por Bárbara Rodrigues (Com informações da PF)