contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner Pro sol

Publicidade

Maioria dos abusos contra crianças acontece nos lares

Em Picos, sete casos estão sendo acompanhados pelo Conselho Tutelar, a maioria foi praticada por pessoas próximas das vítimas

| quarta-feira, 18 maio , 2016

A violência sexual se configura por qualquer ato sexual, com a finalidade de obtenção de prazer sexual onde uma pessoa exerce de alguma forma poder sobre a outra.criançasdenuncias-g-20121110

Geralmente ocorre dentro dos lares, um ambiente em que crianças e adolescentes deveriam, supostamente, sentir-se protegidos. Nessa situação, é comum que o abuso sexual seja mantido em segredo, em parte porque as relações de afinidade e de consanguinidade entre vítimas e autores da violência geram a complacência dos outros membros da família. Sendo que o abusador pode se tratar de pai, mãe, padrasto ou madrasta, irmão, primo, vizinho ou algum outro indivíduo da conjuntura familiar.

É muito difícil diagnosticar quando a criança ou adolescente está sendo abusada sexualmente, por que a vítima muitas vezes pode não falar por medo de violência pior contra si ou contra alguém que ama. Elas também não rompem o silêncio quando temem censura ou têm medo de acarretar a separação da família. Na maioria dos casos elas se sentem culpadas.

Muitos sujeitos que cometem a violência sexual possuem distúrbios de ordem moral, social e psicológica. A formação da estrutura psicopatológica do abusador se desenvolve geralmente a partir de vivências de maus-tratos na infância e na adolescência, podendo ter sido vítima de violência sexual, pois sabemos que o sujeito reproduz aquilo que lhe é apresentado na sua formação enquanto sujeito de desejos.

O papel da escola é muito importante na detecção e intervenção de casos de violência sexual contra crianças e adolescentes.

Os pais ou responsáveis devem ficar atentos para o que a criança reproduz no brincar, se ela reproduz algum ato, perceber mudanças no comportamento, como isolamento, agressividade, observar as notas na escola, a relação social dentro e fora da escola. E antes de deixar uma criança ou adolescente com outra pessoa, conheça um pouco sobre ela, e a observe.

No atendimento à vítima de violência sexual começa com o acolhimento, devem priorizar o imediato encaminhamento das crianças e adolescentes em situação de violência sexual aos serviços educacional, médico, psicológico e jurídico-social. Esses procedimentos visam ajudar a diminuir as sequelas do abuso e da exploração sexual e evitar que as próprias vítimas reproduzam o ato futuramente, bem como atuar simultaneamente na responsabilização e tratamento do autor da violência, o que contribui para quebrar o ciclo de impunidade e, consequentemente, para a redução do abuso e da exploração sexual.

Texto: Psicóloga Raqueline Moreira, CRP-21/02617.