contato@webpiaui.com.br

Publicidade

banner Rout

Governo Federal paralisa atividades do Matopiba

A denominação foi criada para definir a fronteira agrícola que compreende o bioma Cerrados no Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia

| quinta-feira, 6 outubro , 2016

10008989O Governo Federal publicou decreto que paralisa as atividades do Matopiba a partir do dia 19 de outubro. A denominação foi criada para definir a fronteira agrícola que compreende o bioma Cerrados nos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, correspondendo por grande parte da produção brasileira de grãos e fibras.

De acordo com o decreto, o projeto não estaria dentro dos padrões econômicos do país. Com investimentos projetados em R$ 29 bilhões, o Governo Federal considera inadequado para o atual momento econômico.

Para Adalberto Pereira, diretor de crédito fundiário da Superintendência Desenvolvimento Rural (SDR), a medida trará grandes prejuízos ao Piauí.

“Estava previsto muito investimento, principalmente na área de logística, com projetos na área de energia, transporte, mobilidade para transporte de produção. Na região havia, inclusive, investidores estrangeiros como é o caso do Japão. Os velhos tempos começam a aparecer, tempos em que o Nordeste e o Norte eram excluídos”, desabafa.

Adalberto Pereira acrescenta ainda que a paralisação das atividades do Matopiba pode ter relação com questões políticas. Três dos estados que compunham o território são governados por aliados da ex-presidente Dilma Rousseff.

“É evidente que o Nordeste vem sofrendo retaliações desde o governo interino de Temer. Por exemplo, podemos perceber a questão da renegociação das dívidas. O Nordeste, praticamente, não tem dívidas com a União e quem se beneficiou com a anistia foi o Sul do país. Diante disso, o governo do Piauí tem se mobilizado com outros governadores do Nordeste para ver se recompõe e puxa algum recurso, tendo em vista que a negociação da dívida, o Nordeste e em especial o Piauí não foi beneficiado”, finaliza Pereira.

Na região do Matopiba- criada há cerca de um ano e meio- vivem cerca de 6 milhões de pessoas, em 73 milhões de hectares, com 324 mil estabelecimentos agrícolas e que produziram 9,4% das 209, 5 milhões de toneladas de grãos na safra 2014/2015.

Fonte: Cidadeverde.com