contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner hemopi

Publicidade

Governador reafirma compromisso com a segurança

De acordo com o governador, o Estado não abrirá mão da responsabilidade de proteger a população e reduzir a criminalidade.

| quinta-feira, 9 abril , 2015

Com o objetivo de buscar soluções emergenciais e fortalecer as ações de segurança em todo o Estado. O governador Wellington Dias se reuniu com o secretário da Segurança, Fábio Abreu; o secretário da Justiça, Daniel Oliveira; o comandante da Polícia Militar, cel. Carlos Augusto; e o coordenador de Comunicação, João Rodrigues. A reunião foi realizada na noite dessa quarta-feira (8), no Palácio de Karnak.

Reunião na área da segurança: Carlos Augusto (PMPI), Fábio Abreu (SSPPI) e Daniel Oliveira (Sejus) e João Rodrigues (CCom)( Foto: Jorge Henrique Bastos)

Reunião na área da segurança: Carlos Augusto (PMPI), Fábio Abreu (SSPPI) e Daniel Oliveira (Sejus) e João Rodrigues (CCom)( Foto: Jorge Henrique Bastos)

Dentre as medidas discutidas para que o ciclo da segurança seja mantido é a abertura de uma penitenciária no município de Altos, para daqui a 30 dias. Além disso, medidas emergenciais também vêm sendo tomadas para que a segurança no Estado seja mantida. “As nossas equipes técnicas estão reunidas para estabelecer uma solução para o problema da superlotação. Nas próximas, estará solucionado e o nosso ciclo de segurança está mantido. As obras da casa de detenção, em Altos, estão sendo finalizadas e devemos entregá-la nos próximos dias”, disse Daniel Oliveira.

De acordo com o governador, o Estado não abrirá mão da responsabilidade de proteger a população e reduzir a criminalidade. Os índices do primeiro trimestre da gestão apontam uma redução no número de crimes no Estado. “O resultado das ações integradas é que quanto mais trabalhamos e enfrentamos o crime, mais pessoas estão sendo presas, então tivemos um crescimento recorde de prisões e o resultado é que agora temos um sistema com a lotação acima da capacidade. Mas a orientação é a polícia continuar prendendo quem cometeu um crime, não podemos abrir mão da missão de proteger a população. Acertamos aqui que, num prazo de 30 dias, teremos as condições necessárias para inaugurar a nova penitenciária entre Teresina e Altos, para poder amenizar o sistema. E por outro lado, cuidar para que a Central de Flagrantes, que está com superlotação, para que possamos encontrar um mecanismo para absorver no nosso sistema”, ressalta.

O secretário da Justiça, Daniel Oliveira, ressaltou ainda que obras como os dois pavilhões da Casa de Custódia e a penitenciária de Campo Maior também serão retomadas. “Após a finalização dos trâmites burocráticos, em cinco dias úteis, as obras dos pavilhões da Casa de Custódia iniciarão. A construção do presídio de Campo Maior possui algumas pendências que nós já estamos buscando resolver”, conta.

Investimentos para aquisição de equipamentos para a segurança já estão previstos pelo governador. “Já convidei o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para vir ao Piauí e realizarmos uma agenda para celebrarmos convênios para a aquisição de mais viaturas e outros investimentos. Vamos ter que investir em delegacias no interior, comandos da Polícia Militar, por exemplo, o do bairro Satélite que está abandonado, para fortalecer a segurança daquela região”, afirma Wellington Dias.

O governador aproveitou a oportunidade para parabenizar a equipe da segurança pelo desempenho no primeiro trimestre do ano. ”Parabenizo a toda a equipe de segurança, porque fechamos o trimestre com redução de criminalidade em cidades em que o crime estava crescendo a cada mês como, por exemplo, Teresina. Em março do ano passado, nós chegamos a 34 homicídios e agora nós fechamos com 24 homicídios. Nós tivemos uma redução muito grande de roubo de veículos e agora nós tivemos 70% dos veículos recuperados, ou seja, não só reduziu como também aumentou o percentual de recuperação de veículos, dentre outros. Esses dados dizem respeito a um trabalho planejado que envolve a Polícia Civil, Polícia Militar, o trabalho de delegados, a presença da Força Nacional, a integração com a Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal, Corpo de Bombeiros e, na minha avaliação do primeiro trimestre, a ação integrada está bem sucedida”.

O Governo do Estado está negociando com o judiciário o uso da tornozeleira aplicado a uma política de trabalho. A medida inovadora irá contribuir para a ressocialização dos presos, redução de custos, além de abrir mais vagas nas penitenciárias. “Estamos negociando com o judiciário medidas inovadoras, por exemplo, o uso da tornozeleira casado com uma política de trabalho. Assim, o Estado poderá ter a possibilidade de botar o preso para trabalhar, estudar e se qualificar, ou seja, garantir uma condição de ressocialização. Com isso poderemos também aliviar o nosso sistema. Desse modo, criminosos que oferecem risco à sociedade permanecem presos e aqueles que cometeram crimes mais leves e têm bom comportamento serão incluídos nessa política e possam cumprir sua pena com a tornozeleira e trabalhando. Queremos fazer uma parceria com empresas e abrir vagas, também, no próprio setor público para que eles cumpram suas penas, essa ação reduz custos e ajuda na ressocialização”, finaliza o governador.