contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner Estado – museu

Publicidade

Governador flagra merendas, livros e tablets abandonados

Alimentos com o prazo de validade vencido, livros com o período de uso já defasado e equipamentos eletrônicos correndo risco de danos

| sábado, 3 janeiro , 2015

O governador Wellington Dias (PT) realizou na manhã deste sábado (3) uma inspeção no almoxarifado da Secretaria de Educação para verificar as condições de armazenamento e aproveitamento do patrimônio da pasta e constatou a existência de alimentos com o prazo de validade vencido, livros com o período de uso já defasado e equipamentos eletrônicos correndo risco de danos.dep2222

Nos galpões do almoxarifado inspecionados também pelo secretário interino de Educação e pela futura titular da pasta, Helder Jacobina (PT) e Rejane Dias (PT), respectivamente, estão armazenados milhares de livros e tablets, além de alimentos, bebedouros e aparelhos de ar condicionado e som.

Alguns galpões estão com as portas quebradas, facilitando a entrada de animais. A situação de higiente no local também é delicada, já que os materiais estão cobertos pela poeira. Os alimentos fora da validade encontrados deixaram Rejane Dias inconformada. A petista lembrou que escolas estaduais quase fecharam por falta de merenda escolar nos últimos meses.

De acordo com Wellington Dias, a visita serviu como medida para evitar a recorrência de problemas das administrações anteriores no aproveitamento do patrimônio público. “A gente quer evitar que a nossa gestão comece cometendo erros como nos anos anteriores. Por isso é necessário fazer um diagnóstico e estudar as condições do almoxarifado”.dep3333

Disposto a aproveitar os livros já defasados, o governador recém-empossado afirmou que vai tentar adotar as melhores medidas para evitar que esses materiais não sejam aproveitados. A expectativa é que eles provavelmente sejam repassados para a Educação de Jovens e Adultos (EJA) e para o Ensino Profissionalizante. Wellington Dias alertou, porém, que isso ainda será estudado.

Futura secretária estadual de Educação, Rejane Dias lamentou o cenário. “Fiz questão de pedir ao governador Wellington Dias que viesse ver a situação do almoxarifado. É lamentável. A forma de armazenamento é uma preocupação. Precisamos tomar todas as providências possíveis para evitar o desperdício”.

Titular da pasta enquanto Rejane Dias não assume a Secretaria de Educação, o secretário interino de Educação Helder Jacobina lembrou que a intenção da visita também foi estudar a melhor forma de distribuir esse material para as escolas. “Alguns desses materiais já deveriam ter sido enviados. No entanto, estão aqui armazenados de forma inadequada. Temos que verificar essa situação e trabalhar por um melhor sistema de controle”.

Desabafo e soluções

Ao fim da visita, Wellington Dias concluiu que a situação do almoxarifado é resultado de falta de planejamento. “A população precisa saber. Isso é por conta da um mau planejamento. O que falta na escola está aqui armazenado. Vejo nesses galpões o dinheiro do povo. Imagina o quanto custa um livro, um tablet ou um ar condicionado. Não é justo que o dinheiro público seja tratado dessa forma”.

O petista afirmou também que, para combater o desperdício, será elaborado um plano de distribuição que permita que os materiais sejam entregues diretamente nas escolas, evitando que eles tenham que ser armazenados. O objetivo, segundo o governador, é conseguir uma forma barata, mas de qualidade e eficiência. “Fazer funcionar o que não está funcionando e, principalmente, fazer as escolas funcionarem”.

Mais problemas

Durante a visita, Wellington Dias afirmou que a diminuição do número de matrículas na rede de ensino público estadual é algo que chama atenção. “Precisamos saber o que aconteceu. São cerca de 20 mil professores e atualmente há nove alunos a menos por cada professor, o que torna o custo de cada aluno mais caro para o Estado”.

O governador petista informou ainda que se reuniu com o novo ministro da Educação, Cid Gomes, e discutiu formas de o Governo Federal liberar recursos para a Educação no Piauí.

Fonte: Cidade Verde