contato@webpiaui.com.br

Publicidade

Banner Pro sol

Publicidade

Controle ao tabagismo será ampliado em Picos

O município de Picos é destaque no combate ao tabagismo, através do programa desenvolvido nas Unidades Básicas de saúde

| sexta-feira, 13 maio , 2016

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o cigarro é responsável por 90% dos casos de morte em pessoas com câncer de pulmão. Além do câncer de pulmão, fumar pode causar câncer em outras partes do corpo e problemas cardiovasculares, por isso, a Prefeitura Municipal de Picos, através Secretaria Municipal de Saúde, está ampliando as ações do Programa de Controle de Tabagismo no município. Como parte das ações, a coordenadora, Micherlla Brito, capacitou médicos, enfermeiros e agentes comunitários de saúde da rede municipal na manhã dessa quarta-feira (11/05), no auditório da academia de saúde.TTTNNBVD

“Hoje nós estamos capacitando esses profissionais e fazendo a contratualização de novas unidades básicas de saúde que estarão oferecendo o serviço, durante a palestra a gente abordou sobre o tratamento, sobre a medicação e para falar sobre os pontos específicos do tratamento nesse momento, além disso, entregamos kits contendo material informativo e os medicamentos que serão utilizados no tratamento”, ressaltou a coordenadora, enfermeira Micherlla Brito.

Picos é destaque no combate ao tabagismo, através do programa desenvolvido nas Unidades Básicas de saúde, pelo Ministério da Saúde em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SESAPI). Hoje, 17 unidades distribuídas em vários bairros da cidade têm equipes que fazem o acompanhamento aos usuários do SUS, que desejam largar o fumo. A meta da secretaria de saúde é ampliar, nos próximos dias, esse número para mais 7 bairros e até o final do ano estar com as 36 unidades de saúde oferecendo o serviço.

Como funciona o programa?

O Programa funciona nas Unidades Básicas de Saúde – UBS e forma grupos de fumantes, que são acompanhados por uma equipe multidisciplinar na busca do fim do vício. Cada equipe é formada por médico, enfermeiro, farmacêutico, odontólogo, educador físico, fisioterapeuta, psicólogo, nutricionista e assistente social. Os grupos são formados com 10 fumantes que se reúnem inicialmente uma vez por semana, depois duas vezes a cada quinze dias, posteriormente em uma ocasião por mês e, por fim, uma vez por semestre. São quatro etapas de um trabalho que vai desde a orientação, o aconselhamento, até a conscientização sobre o perigo que o cigarro oferece. Além das oficinas, há orientações particulares e a oferta de medicamentos inibidores do desejo de consumo e antidepressivos.