contato@webpiaui.com.br

Publicidade

banner Rout

Publicidade

Cachimbo milenar pode revelar novo sítio arqueológico

Um cachimbo de pedra com um rosto esculpido foi encontrado em um terreno que havia acabado de ser arado por um trator

| terça-feira, 10 julho , 2018

Uma descoberta, ao acaso, pode revelar um novo sítio arqueológico em Barras, município a 119 km da capital. Um cachimbo de pedra com um rosto esculpido foi encontrado em meio a um terreno que havia acabado de ser arado por um trator para plantio. A descoberta foi feita na localidade de Espingarda, a cerca de 10 km da zona Urbana da cidade.

O geógrafo João Barbosa Neto, localizou o artefato e o levou à Universidade Estadual do Piauí, onde o professor Assis Carvalho, identificou como um possível objeto pertencente a tribo dos Alongazes, indígenas que teriam habitado a região, milênios atrás. Segundo o professor, vestígios já encontrados na região datam em mais de oito mil anos, o que o leva a crer que a nova descoberta tenha em média 5 mil anos.

“Tenho duas machadinhas de pedra já localizadas nessa mesma região, datadas de oito mil anos atrás. Este cachimbo já é uma peça com riqueza de detalhes e pode ter pertencido a tribo dos Alongazes, que povoaram essa região há pelo menos oito mil anos. A tribo deu nome ao rio, hoje chamado de Longá e por volta de 1730 começaram a ser extintos trabalhando para fazendeiros da região”, conta o pesquisador.

O artefato será levado ao setor de arqueologia da Universidade Federal do Piauí onde será submetido a testes para precisar a datação da peça. Segundo o professor, com a tecnologia disponível no Estado, já será possível até identificar o tipo de fumo utilizado na peça.

“Essa região pode abrigar um grande sítio arqueológico e minha intenção é trazer um grupo de arqueólogos para realizar uma escavação pois com certeza houve um aldeamento as margens do rio Longá que pode ter deixado muitos vestígios”, pontua o professor.

Por Rayldo Pereira
Cidadeverde.com