Animais soltos provocam risco de acidentes em Picos

O secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Picos, Filomeno Portela, alerta para a responsabilidade dos donos

/ quinta-feira, 13 setembro , 2018

O secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Picos, Filomeno Portela, é bastante incisivo quando alerta sobre danos causados por animais soltos nas vias. Segundo explica, existe o risco constante de acidentes de toda natureza a pedestres e trânsito em geral.

“Desde um simples susto, ao um grave acidente como atropelamentos. E isso causa muita morte. Todo mundo já ouviu falar de alguém que bateu em um jumento e morreu. Todo mundo já ouviu falar de alguém que bateu numa vaca e se lascou todo. Todo mundo já ouviu falar de alguém que bateu num cachorro e quase morre da queda. É isso que geralmente acontece”, alerta.

A demanda de animais soltos nas vias, sobretudo nas BRs que cortam a cidade, é tamanha que, revela Filomeno Portela, em apenas uma simples recolha de bichos feita pelos agentes do município em parceria com a Policia Rodoviária Federal, foram recolhidos mais de 30 jumentos.

Os bichos, em sua grande maioria asnos (ou jumentos), são capturados e levados para o curral municipal, onde ficam à espera de alguma resolução. Para os animais apreendidos, existe um prazo de 10 dias para que o dono restabeleça sua posse.

“O dono do animal tem esse prazo para que a sua posse seja restabelecida. Afora isso, o animal pode ser doado para outra pessoa que se interesse pelo bicho”, explica.

Doação

A referida secretaria tem um modelo de doação dos bichos recolhidos. Explica o chefe de apreensão de animais, Erismar Santiago, que o interessado em adquirir algum animal apreendido, deve apresentar apenas documentação pessoal, além de garantir a posse do bicho.

“A doação ocorre dependendo da demanda do bicho. Se a disponibilidade do animal que o interessado deseja é compatível com a demanda, fazemos de imediato a sua doação, sem custos”, assegura.

Termo de posse/responsabilidade

O solicitante deve assinar ainda um termo de posse/responsabilidade sobre o bicho adotado. A intenção é garantir que o animal não retorne às vias públicas onde possa causar inúmeros transtornos.

“Caso ocorra desistência, a pessoa que adotou o bicho deve nos procurar e fazer a devolução. Do contrário, se capturarmos um animal e for identificado como peça de doação, o doador identificado poderá sofrer sanções penais”, alerta o chefe de apreensão de animais.

Destino adequado

O secretário Filomeno Portela lembra que existe uma Ong baiana que faz um trabalho de resgate dos animais aqui apreendidos.

“Essa Ong vem regularmente em Picos, nos solicita a posse de alguns animais e faz o transporte destes bichos apreendidos nas ruas. Geralmente são jumentos. Lá, eles cuidam do animal e dão um destino para ele. Esse destino nós desconhecemos”, explica.

Dr. kim

Vídeo Veja mais

Eva Graça tem poemas publicados em coletânea

A professora da rede estadual de ensino, Eva Graça, fala como surgiu o hábito de escrever e sobre suas publicações

banner aviso LAVAJATO banner datapicos Comercial Ivan

© 2013 Webpiaui - Todos os direitos reservados.

Somente os artigos não assinados são de responsabilidade deste portal. Os demais, não representam necessariamente a opinião desta editoria e são de inteira responsabilidade de seus autores.

Aroldo Santos - Soluções web